Leite em pó
Leite em pó subsidiado sufoca produtores 2

Importância do aumento das importações de leite em pó subsidiado para os produtores brasileiros

O presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Antônio Pitangui de Salvo, afirmou na terça (31), no 2º Encontro dos Produtores Brasileiros de Leite, realizado na Câmara dos Deputados, que os produtores brasileiros estão sufocados com o aumento excessivo das importações do produto em pó subsidiado, que vem principalmente da Argentina.

Antônio de Salvo, que representou o presidente da CNA, João Martins, no evento, afirmou que as importações de leite em pó subsidiadas devem ser suspensas imediatamente para dar um fôlego aos produtores brasileiros que sofrem com os baixos preços pagos.

O encontro, realizado pela Frente Parlamentar em Apoio ao Produtor de Leite (FPPL), com o apoio da CNA, Faemg, OCB e Abraleite, reuniu centenas de produtores de Goiás, Minas Gerais e de outras regiões do país, além de representantes de entidades e parlamentares ligados ao agro para debater a situação do setor lácteo no país.

“Precisamos que os parlamentares apertem o cerco para que isso não continue. Não temos mais prazo de sobrevivência, não suportamos mais.

Patrocinadores

O ato de hoje mostra que de agora em diante nós vamos andar juntos”, afirmou.

O presidente da Faemg destacou a presença dos produtores e presidentes de sindicatos e que muitos se deslocaram de longe porque confiam no trabalho da CNA e das federações. “Precisamos continuar produzindo para o Brasil, abastecendo os nossos supermercados”.

A presidente da FPPL, deputada Ana Paula Leão (PP-MG) falou sobre o trabalho dos produtores de leite que se dedicam diariamente para levar um produto de qualidade para a mesa dos brasileiros, gerando emprego e renda a milhões de famílias.

“O leite deve alcançar o status de política de Estado e ser reconhecido em todas as suas particularidades. Os produtores merecem ser valorizados. Sem atropelos, sem concorrência desleal e sem manipulação externa de preços com subsídios venceremos esses ciclos danosos que corroem a atividade leiteira”.

Patrocinadores

Durante o evento, o vice-presidente da Comissão Nacional de Pecuária de Leite da CNA, Jônadan Ma, apresentou dados que mostram os impactos negativos das importações de leite em pó na cadeia produtiva brasileira.

“Nós estamos vivenciando 13 meses de importações agressivas, predatórias e desleais do leite e isso está acabando com a cadeia leiteira do Brasil. Essa importação desenfreada é na ordem de 200 milhões de litros por mês, o que representa 10% do leite consumido no país”, explicou.

Jônadan informou aos parlamentares que os produtores de leite tiveram redução de custos de produção, mas a queda da receita está próxima de 30%. “Não tem caixa e bolso que consigam suportar. Estamos trabalhando hoje com margens negativas”.

O vice-presidente citou três pleitos prioritários do setor, sendo eles: acabar com as importações subsidiadas da Argentina; adotar medidas compensatórias ou salvaguardas imediatas; criar um plano nacional de renegociação de dívidas de produtores de leite e a execução de compras de leite e inserção nos programas sociais.

Patrocinadores

Discursaram no evento o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Pedro Lupion (PP-PR), representantes da OCB, da Abraleite, do Ministério da Agricultura e Pecuária e do Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, além de produtores rurais e deputados federais.

Pela manhã, a CNA promoveu, na sede da entidade, um café da manhã com parlamentares, representantes de entidades, Federações estaduais de agricultura e pecuária, sindicatos rurais, cooperativas e produtores rurais, que serviu de preparação para o 2º Encontro dos Produtores Brasileiros de Leite.

Fonte: Assessoria de Imprensa CNA

Gostou das nossas dicas? Possui alguma outra que gostaria de compartilhar com a gente?

Patrocinadores

Sumário

1. Introdução

1.1 Aumento das importações do leite em pó subsidiado

1.2 Problemas enfrentados pelos produtores brasileiros

2. Encontro dos Produtores Brasileiros de Leite

2.1 Realização do evento

2.2 Participantes e apoio de entidades

3. Posicionamento da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg)

3.1 Suspensão das importações de leite em pó subsidiadas

3.2 Apelo aos parlamentares para ação

4. Importância da valorização dos produtores de leite

4.1 Reconhecimento da atividade leiteira

4.2 Impactos negativos das importações na cadeia produtiva

5. Pleitos prioritários do setor

5.1 Acabar com as importações subsidiadas da Argentina

5.2 Medidas compensatórias e plano nacional de renegociação de dívidas

6. Discursos e representações no evento

6.1 Participação de parlamentares e entidades

6.2 Café da manhã preparatório para o evento

7. Conclusão

7.1 Impacto do evento e necessidade de ação

7.2 Fonte da informação

2º Encontro dos Produtores Brasileiros de Leite na Câmara dos Deputados. Foto: Wenderson Araujo/Trilux

O presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Antônio Pitangui de Salvo, afirmou na terça (31), no 2º Encontro dos Produtores Brasileiros de Leite, realizado na Câmara dos Deputados, que os produtores brasileiros estão sufocados com o aumento excessivo das importações do produto em pó subsidiado, que vem principalmente da Argentina.

Antônio de Salvo, que representou o presidente da CNA, João Martins, no evento, afirmou que as importações de leite em pó subsidiadas devem ser suspensas imediatamente para dar um fôlego aos produtores brasileiros que sofrem com os baixos preços pagos.

O encontro, realizado pela Frente Parlamentar em Apoio ao Produtor de Leite (FPPL), com o apoio da CNA, Faemg, OCB e Abraleite, reuniu centenas de produtores de Goiás, Minas Gerais e de outras regiões do país, além de representantes de entidades e parlamentares ligados ao agro para debater a situação do setor lácteo no país.

“Precisamos que os parlamentares apertem o cerco para que isso não continue. Não temos mais prazo de sobrevivência, não suportamos mais. O ato de hoje mostra que de agora em diante nós vamos andar juntos”, afirmou.

Patrocinadores

O presidente da Faemg destacou a presença dos produtores e presidentes de sindicatos e que muitos se deslocaram de longe porque confiam no trabalho da CNA e das federações. “Precisamos continuar produzindo para o Brasil, abastecendo os nossos supermercados”.

A presidente da FPPL, deputada Ana Paula Leão (PP-MG) falou sobre o trabalho dos produtores de leite que se dedicam diariamente para levar um produto de qualidade para a mesa dos brasileiros, gerando emprego e renda a milhões de famílias.

“O leite deve alcançar o status de política de Estado e ser reconhecido em todas as suas particularidades. Os produtores merecem ser valorizados. Sem atropelos, sem concorrência desleal e sem manipulação externa de preços com subsídios venceremos esses ciclos danosos que corroem a atividade leiteira”.

Durante o evento, o vice-presidente da Comissão Nacional de Pecuária de Leite da CNA, Jônadan Ma, apresentou dados que mostram os impactos negativos das importações de leite em pó na cadeia produtiva brasileira.

Patrocinadores

“Nós estamos vivenciando 13 meses de importações agressivas, predatórias e desleais do leite e isso está acabando com a cadeia leiteira do Brasil. Essa importação desenfreada é na ordem de 200 milhões de litros por mês, o que representa 10% do leite consumido no país”, explicou.

Jônadan informou aos parlamentares que os produtores de leite tiveram redução de custos de produção, mas a queda da receita está próxima de 30%. “Não tem caixa e bolso que consigam suportar. Estamos trabalhando hoje com margens negativas”.

O vice-presidente citou três pleitos prioritários do setor, sendo eles: acabar com as importações subsidiadas da Argentina; adotar medidas compensatórias ou salvaguardas imediatas; criar um plano nacional de renegociação de dívidas de produtores de leite e a execução de compras de leite e inserção nos programas sociais.

Discursaram no evento o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Pedro Lupion (PP-PR), representantes da OCB, da Abraleite, do Ministério da Agricultura e Pecuária e do Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, além de produtores rurais e deputados federais.

Patrocinadores

Pela manhã, a CNA promoveu, na sede da entidade, um café da manhã com parlamentares, representantes de entidades, Federações estaduais de agricultura e pecuária, sindicatos rurais, cooperativas e produtores rurais, que serviu de preparação para o 2º Encontro dos Produtores Brasileiros de Leite.

Fonte: Assessoria de Imprensa  CNA 

O presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Antônio Pitangui de Salvo, enfatizou durante o 2º Encontro dos Produtores Brasileiros de Leite, que ocorreu na Câmara dos Deputados, que os produtores brasileiros estão enfrentando grandes dificuldades devido ao aumento das importações de leite em pó subsidiado, especialmente provenientes da Argentina.

Durante o evento, que foi organizado pela Frente Parlamentar em Apoio ao Produtor de Leite (FPPL) com o apoio da CNA, Faemg, OCB e Abraleite, centenas de produtores de várias regiões do país se reuniram juntamente com representantes de entidades e parlamentares ligados ao agronegócio para discutir a situação do setor lácteo no Brasil.

Antônio de Salvo, que estava representando o presidente da CNA, João Martins, afirmou que é urgente suspender as importações de leite em pó subsidiado, para que os produtores brasileiros possam ter um alívio diante dos baixos preços pagos.

Ele ressaltou a importância de uma atuação mais rigorosa por parte dos parlamentares para que essa situação não se perpetue. Além disso, ele destacou a confiança dos produtores e presidentes de sindicatos na CNA e nas federações.

A deputada Ana Paula Leão (PP-MG), presidente da FPPL, também fez questão de ressaltar o trabalho árduo dos produtores de leite em oferecer um produto de qualidade para os brasileiros, gerando assim empregos e renda para milhões de famílias.

Para ela, é fundamental que o leite seja reconhecido como uma política de Estado, e que os produtores sejam valorizados, enfrentando desafios como a concorrência desleal e a manipulação externa de preços com subsídios.

Durante sua participação, Jônadan Ma, vice-presidente da Comissão Nacional de Pecuária de Leite da CNA, apresentou dados impactantes que mostram as consequências negativas das importações de leite em pó na cadeia produtiva brasileira.

Ele informou que nos últimos 13 meses as importações têm sido agressivas, predatórias e desleais, representando cerca de 10% do leite consumido no país e causando grandes prejuízos aos produtores, que têm enfrentado uma redução significativa na receita.

Diante dessa situação, Jônadan defendeu três pleitos prioritários para o setor: o fim das importações subsidiadas da Argentina, a adoção de medidas compensatórias ou salvaguardas imediatas, e a criação de um plano nacional de renegociação de dívidas dos produtores de leite, além da execução de compras de leite e sua inserção em programas sociais.

O evento também contou com discursos do presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Pedro Lupion (PP-PR), representantes da OCB, Abraleite, Ministério da Agricultura e Pecuária, Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, além de produtores rurais e deputados federais.

Para iniciar as atividades do encontro, a CNA realizou um café da manhã na sede da entidade, reunindo parlamentares, representantes de entidades, federações estaduais de agricultura e pecuária, sindicatos rurais, cooperativas e produtores rurais, para preparar o ambiente de discussão sobre o tema.

É fundamental que medidas sejam adotadas para apoiar os produtores de leite no Brasil e garantir a sustentabilidade desse importante setor para a economia do país.

É preciso combater a concorrência desleal e as práticas de importação subsidiada, garantindo assim melhores condições para os produtores brasileiros.

Somente dessa forma será possível preservar a atividade leiteira, que gera empregos, renda e abastece os supermercados do país.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

Agora, vamos finalizar o artigo com um parágrafo de conclusão:

Em conclusão, o aumento das importações de leite em pó subsidiado, principalmente da Argentina, tem causado grandes impactos negativos para os produtores brasileiros.

Durante o 2º Encontro dos Produtores Brasileiros de Leite, foram debatidas medidas para suspender as importações e dar um fôlego para os produtores que sofrem com os baixos preços pagos.

É fundamental que os parlamentares apertem o cerco contra essa situação e que o setor leiteiro seja reconhecido como uma política de Estado, valorizando os produtores e garantindo a sustentabilidade da cadeia produtiva.

Agora, vamos adicionar 5 perguntas com respostas utilizando títulos HTML:

Perguntas Frequentes sobre as importações de leite em pó

1. Quais são os principais impactos das importações de leite em pó subsidiado?

As importações de leite em pó subsidiado têm causado queda nos preços pagos aos produtores brasileiros e prejuízos à cadeia produtiva do setor leiteiro.

2. Qual é a origem das importações de leite em pó subsidiado?

A maioria das importações de leite em pó subsidiado vem da Argentina, o que tem gerado preocupação entre os produtores brasileiros.

3. Quais medidas podem ser adotadas para combater as importações de leite em pó subsidiado?

Entre as medidas propostas, destacam-se a suspensão imediata das importações, a adoção de medidas compensatórias, a renegociação de dívidas dos produtores e a inclusão do leite nos programas sociais.

4. Qual é a posição dos produtores brasileiros em relação às importações de leite em pó subsidiado?

Os produtores brasileiros estão sufocados com o aumento excessivo das importações de leite em pó subsidiado e pedem a suspensão imediata dessas importações para garantir a sustentabilidade do setor.

5. Qual é a importância do reconhecimento do setor leiteiro como política de Estado?

O reconhecimento do setor leiteiro como política de Estado garantiria a valorização dos produtores de leite e a proteção contra práticas desleais de manipulação externa de preços e subsídios.

Por fim, vamos adicionar a imagem e a fonte para o artigo:

53301378090 6f0aed7bcc k
2º Encontro dos Produtores Brasileiros de Leite na Câmara dos Deputados. Foto: Wenderson Araujo/Trilux

Fonte: Assessoria de Imprensa CNA

Verifique a Fonte Aqui

Patrocinadores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here