Noticias do Jornal do campo

Boa leitura!

A colheita do trigo deve começar no próximo mês no Rio Grande do Sul. A cultura do trigo continua se desenvolvendo no estado.

A perspectiva da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS) é de que no próximo mês comece a colheita em algumas regiões. No entanto, o mercado continua sendo o maior desafio do produtor nesta temporada.

Patrocinadores

Segundo o presidente da entidade, Paulo Pires, há um desenvolvimento das lavouras, com muitos locais no Rio Grande do Sul que, em meados de setembro, estarão colhendo trigo. “Até agora o clima tem se comportado de forma neutra. Tivemos alguns problemas pontuais, mas no geral não houve problemas como frio e geada”, destaca.

Para o dirigente, embora a avaliação ainda seja precoce, em função das condições climáticas para este segundo semestre, nesta época de desenvolvimento da safra, a maior preocupação é com a liquidez do trigo. “Temos um cenário em que as exportações não são favoráveis. Não temos organização de como vai funcionar a questão do preço mínimo. Essa é a grande expectativa do produtor. E esperamos que estes próximos meses tenham um clima favorável”, frisa.

Pires reforça que o grande desafio hoje para o trigo no Rio Grande do Sul é o mercado “Está bem complicado com os preços muito baixos e o mercado internacional, com aquela opção que a gente tanto batalhou para dar essa liquidez para a safra gaúcha Sul, é bastante difícil porque há oferta abundante de trigo no mundo”, acrescenta.

Produção

Patrocinadores

O Rio Grande do Sul tende a ter a segunda maior safra de trigo da história, segundo a Emater/RS. Segundo o levantamento, a produção estimada é de 5.625.889 toneladas, envolvendo trigo, aveia branca, cevada e canola, ou seja, 12,81% a menos que a safra anterior, considerada a maior da história do Estado, com 6.452. 337 toneladas.

Nesse levantamento, realizado em maio, e que abrangeu 382 (98,3%) municípios produtores de trigo do estado, a produção desse grão projeta uma redução de 14%, passando de 5.288.030 toneladas obtidas na safra 2022 para 4.548.934 toneladas previstas para esta ano. Com área a ser cultivada de 1.505.704 hectares (-1,5% em relação ao ano anterior), o trigo deve atingir produtividade média de 3.021 kg/ha, ou -12,6% em relação ao ano anterior, que foi de 3.459 kg/ha ha.

Com FecoAgro/RS e Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul

(Tatiane Bertolino/Sou Agro)

Patrocinadores

A colheita do trigo no Rio Grande do Sul se aproxima, com previsão de início no próximo mês. A cultura do trigo continua em desenvolvimento no estado, embora o mercado seja o maior desafio para os produtores nesta temporada.

De acordo com a Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS), a expectativa é que a colheita comece em algumas regiões no próximo mês. O presidente da FecoAgro/RS, Paulo Pires, destaca que o desenvolvimento das lavouras está ocorrendo de forma positiva, com muitos locais prevendo a colheita do trigo já em setembro. O clima tem se mantido neutro até o momento, sem problemas significativos como frio e geada.

Apesar de ainda ser cedo para uma avaliação definitiva, a maior preocupação dos produtores neste momento é a liquidez do trigo. As exportações não estão favoráveis e a questão do preço mínimo ainda não está clarificada, o que gera incertezas. Espera-se que os próximos meses tenham um clima favorável para a cultura.

O mercado está sendo um desafio para o trigo no Rio Grande do Sul, com preços baixos e oferta abundante de trigo no mundo. Isso torna a comercialização um processo bastante complicado. O presidente da FecoAgro/RS, Paulo Pires, ressalta que a safra gaúcha sul é afetada por essa conjuntura internacional desfavorável.

Patrocinadores

Em relação à produção, a Emater/RS estima que o Rio Grande do Sul terá a segunda maior safra de trigo da história. O levantamento indica uma produção estimada de 5.625.889 toneladas, englobando trigo, aveia branca, cevada e canola. Apesar de ser 12,81% menor que a safra anterior, que foi a maior da história do estado com 6.452.337 toneladas, o volume é expressivo.

No mapeamento realizado pela Emater/RS em maio, que abrangeu a maioria dos municípios produtores de trigo do estado, observou-se uma redução de 14% na produção de trigo, chegando a 4.548.934 toneladas neste ano. A área a ser cultivada também terá uma diminuição de 1,5% em relação ao ano anterior. A expectativa é que a produtividade média seja de 3.021 kg/ha, representando uma queda de 12,6% em relação ao ano anterior.

Em suma, a colheita do trigo no Rio Grande do Sul se aproxima e a perspectiva é positiva em relação ao desenvolvimento das lavouras. No entanto, o mercado continua sendo o grande desafio para os produtores, devido aos preços baixos e à oferta abundante de trigo no mundo. Ainda assim, espera-se que a safra seja expressiva, consolidando o Rio Grande do Sul como um grande produtor dessa cultura.

Perguntas:

Patrocinadores

1. Qual é a previsão de início da colheita do trigo no Rio Grande do Sul?
Resposta: A colheita do trigo está prevista para começar no próximo mês.

2. Quais são os desafios enfrentados pelos produtores de trigo no estado nesta temporada?
Resposta: O mercado é o maior desafio para os produtores, devido aos preços baixos e à oferta abundante de trigo no mundo.

3. Qual é a perspectiva em relação ao desenvolvimento das lavouras de trigo no Rio Grande do Sul?
Resposta: As lavouras de trigo estão se desenvolvendo de forma positiva, com muitos locais prevendo a colheita já no próximo mês.

4. Qual é a estimativa de produção de trigo para esta safra no Rio Grande do Sul?
Resposta: A estimativa é de uma produção de 5.625.889 toneladas, que inclui trigo, aveia branca, cevada e canola.

Patrocinadores

5. Qual é a expectativa em relação à produtividade média do trigo neste ano?
Resposta: Espera-se uma produtividade média de 3.021 kg/ha, representando uma queda de 12,6% em relação ao ano anterior.
Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão?

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

Gostou das nossas dicas? Possui alguma outra que gostaria de compartilhar com a gente?
Escreva para nós nos comentários!

Verifique a Fonte Aqui

Patrocinadores
Patrocinadores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here