Noticias do Jornal do campo Soberano
Boa leitura!
O avanço da tecnologia na agropecuária: como o uso de drones revoluciona o manejo de pastagens

O setor agropecuário vem passando por grandes transformações com o avanço da tecnologia. Um exemplo disso é a utilização de drones para auxiliar os pecuaristas no manejo de pastagens. Essa inovação tem se mostrado extremamente eficaz na tomada de decisões, garantindo que o pastoreio dos animais ocorra no momento certo e melhorando a produtividade.

Em Mato Grosso, mais especificamente na Fazenda Santo Antônio do Ouro Branco, localizada em Juscimeira, o uso de drones tem sido fundamental para a gestão do rebanho de 4.500 cabeças de criadores de Nelore. A propriedade, que possui 2,5 mil hectares, também realiza a terminação dos animais direcionados ao matadouro.

Um dos gestores da fazenda, Mario Lima, destaca que todas as decisões tomadas são pautadas em boas práticas voltadas à sustentabilidade. Uma das estratégias adotadas é a integração de sistemas, destinando 700 hectares de lavouras para esse fim. Essa integração beneficia a pecuária, pois garante pasto durante a época crítica da exploração, permitindo a produção e auxiliando na parte de criação.

Patrocinadores

Na Fazenda Santo Antônio do Ouro Branco, aproximadamente 1,3 mil hectares são destinados a pastagens perenes, sendo que uma parte é dividida em módulos para rotação. Ao todo, são cinco módulos com 40 hectares cada. A escolha da variedade de gramíneas recai sobre a Zuri, que apresenta boa produção e alto valor nutritivo.

Para monitorar o crescimento do pasto de forma eficiente, o drone entra em cena, substituindo as antigas réguas de medição de altura do pasto. Com o uso da tecnologia, é possível monitorar mais áreas em menos tempo, o que traz agilidade e escalabilidade para o manejo. O engenheiro agrônomo Guilherme Portes desenvolveu o KonectPasto, uma ferramenta que utiliza inteligência artificial para transformar imagens de drones em informações sobre a altura do pasto.

De acordo com Guilherme, o KonectPasto é uma ferramenta tecnológica de gestão que auxilia na tomada de decisões para equilibrar a oferta e a demanda de forragem, garantindo assim um manejo adequado e uma colheita eficiente durante o pastejo. Pesquisas relacionadas a essa tecnologia mostram que um bom manejo pode aumentar o ganho de peso dos animais em até 30% e a taxa de lotação em até 40%. Além disso, também foi comprovado que o uso do drone e do KonectPasto reduz as emissões de gases de efeito estufa em até 30%.

Paulo Zini, coordenador técnico que treina os funcionários da fazenda para utilização do sistema, destaca os resultados obtidos com o uso do drone. Por meio das imagens captadas, é possível gerar gráficos que mostram a capacidade de suporte de cada módulo de pastagem. Esses gráficos indicam quantos animais podem ser trabalhados naquela semana, mantendo o equilíbrio entre oferta e demanda de forragem. Além disso, o sistema também informa se é necessário retirar ou acrescentar animais no módulo, dependendo do estoque de forragem disponível.

Patrocinadores

A tecnologia aplicada na Fazenda Santo Antônio do Ouro Branco foi validada com mais de 16 mil animais dentro do KonectPasto, obtendo um ganho diário médio de 900 gramas por animal. Comprovando assim, os benefícios do uso de drones e do sistema de gestão para o manejo de pastagens.

Ficar por dentro das novidades do agronegócio brasileiro é fundamental para quem busca se manter atualizado. Quer receber as principais notícias do setor em primeira mão? Acompanhe nosso canal no WhatsApp e receba informações em tempo real, basta clicar aqui.

Em conclusão, a utilização de drones tem trazido grandes avanços para o manejo de pastagens na pecuária. Essa tecnologia proporciona agilidade, precisão e eficiência na tomada de decisões, resultando em uma melhor produtividade e contribuindo para a sustentabilidade do setor. Invista em inovação e mantenha-se atualizado para obter os melhores resultados em sua produção agropecuária.

Perguntas frequentes sobre o uso de drones no manejo de pastagens:

Patrocinadores

1. Quais são os benefícios do uso de drones no manejo de pastagens?

– O uso de drones no manejo de pastagens traz agilidade, precisão e eficiência na tomada de decisões, melhorando a produtividade da pecuária.

2. Como a tecnologia dos drones contribui para a sustentabilidade na agropecuária?

– A tecnologia dos drones permite um melhor manejo das pastagens, evitando o desperdício de forragem e reduzindo as emissões de gases de efeito estufa.

Patrocinadores

3. Quais são os resultados obtidos com o uso do KonectPasto na Fazenda Santo Antônio do Ouro Branco?

– Os resultados obtidos com o uso do KonectPasto na fazenda incluem um ganho de peso dos animais de até 30%, uma taxa de lotação de até 40% e uma redução de até 30% nas emissões de gases de efeito estufa.

4. Em quais situações o drone substitui as antigas réguas de medição de altura do pasto?

– O drone substitui as réguas de medição de altura do pasto em todas as situações, trazendo mais agilidade e escalabilidade para o monitoramento das áreas de pastejo.

Patrocinadores

5. Como posso me manter atualizado sobre as novidades do agronegócio brasileiro?

– Acompanhe nosso canal no WhatsApp e receba as principais notícias do setor em primeira mão, clique aqui para participar da nossa comunidade.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo
Gostou das nossas dicas? Possui alguma outra que gostaria de compartilhar com a gente?
Escreva para nós nos comentários!

Verifique a Fonte Aqui

O avanço da tecnologia já chegou às fazendas. A pecuária testemunhou isso através fotos de pastagens, tiradas com drone, que são transformadas em informações para auxiliar os pecuaristas na tomada de decisões. Dessa forma, eles podem garantir que o pastoreio dos animais ocorra no momento certo e também, melhora a produtividade.

Patrocinadores

A Fazenda Santo Antônio do Ouro Branco, em Juscimeira, sudeste de Mato Grosso, tem 2,5 mil hectares e é especializada na criação de criadores de Nelore. A propriedade também faz a terminação dos animais que vão para o matadouro. No momento, o rebanho chega a 4.500 cabeças.

Tecnologia para manejo de pastagens é tema do MT Sustentável esta semana.

O gestor da propriedade, Mario Lima, afirma que as decisões tomadas são sempre focadas em boas práticas voltadas à sustentabilidade. E uma delas é a integração dos sistemas a que se destinam 700 hectares de lavouras.

“Isso ajuda muito. Ajuda a pecuária porque temos pasto durante a época crítica da exploração. Então integramos soja, capim ou milho capim. Assim podemos produzir e ajudar na parte de criação”, destaca.

E quando se trata de pasto, a fazenda tem aproximadamente 1,3 mil hectares de pastagens perenes. Uma parte é dividida em módulos para rotação – cinco no total com 40 hectares cada.

Patrocinadores

A variedade de gramíneas é a Zuri, que apresenta boa produção e alto valor nutritivo. É sobre estes módulos que durante cerca de um ano, semanalmente, um drone sobrevoa e fotografa as pastagens.

Drone substituiu ferramentas antigas

Ó Drone entra na propriedade para substituir uma régua usada para medir a altura do pasto. A diferença, com a tecnologia, é que com o aumento da agilidade e escalabilidade do drone é possível monitorar mais áreas em menos tempo.

O engenheiro agrônomo Guilherme Portes também é doutor em zootecnia e pastagens e é desenvolvedor do KonectPasto que utiliza inteligência artificial para transformar imagens de drones na altura do pasto.

Como o drone é utilizado para medir pastagem em propriedade de MT? 2

“É uma ferramenta tecnológica de gestão para auxiliar na tomada de decisões para equilibrar a oferta e a demanda de forragem, garantindo que a forragem seja bem manejada e colhida durante o pastejo”, explica Guilherme.

Ele também comenta que pesquisas em torno deste desenvolvedor mostram que o um bom manejo aumenta o ganho de peso em 20% a 30% e a taxa de lotação em 30% a 40%. Em trabalhos recentes, foi demonstrado que rreduz as emissões de gases de efeito estufa em 20% a 30%.

Paulo Zini, coordenador técnico que faz parte da equipe que treina funcionários da fazenda para utilização do sistema, relata os gráficos que resultam das imagens captadas pelo drone.

“Temos o relatório de recomendação que mostra a capacidade de suporte daquele módulo. Indica quantos Uas você pode trabalhar naquela semana para manter o equilíbrio entre oferta e demanda de forragem. Ele indica se há necessidade de retirar animais e informa quantos animais precisam ser retirados ou acrescentados naquele módulo, dependendo do estoque de forragem que você tem naquele dia”, pontua.

Para que a tecnologia seja aplicada na propriedade, foram validados mais de 16 mil animais dentro do KonectPasto. O ganho diário foi em torno de 900 gramas por animal/dia.


+Confira outros artigos da série MT Sustentável

+Confira todos os episódios da série MT Sustentável

Clique aquientre na nossa comunidade de WhatsApp no ​​Canal Rural Mato Grosso e receba novidades em tempo real.

Patrocinadores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here