Pular para o conteúdo
Patrocinadores

Seca Provoca Prejuízo No Sul e Agora ?

Veja, pecuaristas tem perdas irreversíveis com La Niña
Seca Provoca Prejuízo No Sul e Agora ?
Seca Provoca Prejuízo No Sul e Agora ?

Seca Provoca Prejuízo No Sul e Agora ?

Toda a situação que estamos acompanhando de perto, com as perdas de safra causadas pela estiagem no sul do Brasil, está impactando diretamente na economia.

A avaliação é do Banco Central (BC) e está incluída na Boletim Regional publicação trimestral que apresenta as condições da economia por regiões e por alguns estados do país.

De acordo com o relatório, a Região Sul sofreu retração da atividade econômica no primeiro trimestre do ano, impactada pela forte estiagem e calor intenso, que comprometeram o desenvolvimento e a produtividade das lavouras.

Segundo o BC, os principais constrangimentos da economia do Sul registaram resultados mistos no primeiro trimestre de 2022. atividade na margem”, diz a publicação.

Patrocinadores

O Índice de Atividade Econômica da Região Sul (IBCR) recuou 2,8% no primeiro trimestre do ano, ante crescimento de 1% no trimestre anterior. Nos 12 meses até março, o indicador cresceu 4,2%, “ainda favorecido pela base de comparação deprimida”.

Seca Provoca Prejuízo No Sul e Agora ?

“Os déficits nas safras de soja, arroz e milho primeira safra, que são apropriados no início do ano, foram as causas fundamentais da queda”, avaliou o BC.

“Segundo indicadores estaduais, a queda da atividade regional foi liderada pelo RS, principalmente devido à queda nas safras de verão”, acrescenta.

Também houve retração menos intensa no Norte e desaceleração da economia no Centro-Oeste.

Patrocinadores
 

O IBCR do Norte apresentou variação negativa de 0,2% em relação ao trimestre anterior, quando cresceu 0,2%, influenciado pela retração da indústria mineral paraense, segundo o BC.

O indicador do Pará recuou 2,2% na mesma base de comparação, enquanto o do Amazonas cresceu 2,1%, impulsionado pelo aumento do consumo de serviços. Em 12 meses, o IBCR do Norte acumulou crescimento de 3,8%.

A economia do Centro-Oeste manteve um desempenho positivo no primeiro trimestre de 2022, com o IBCR apresentando alta de 0,7% em relação ao trimestre anterior, quando cresceu 1,6%.

“A agricultura, a indústria de transformação, o comércio e a administração pública se destacaram no período. A agroindústria tem se beneficiado da dinâmica sazonal do complexo soja”, diz o Boletim Regional. No período de 12 meses, o IBCR da região cresceu 4,9%.

Patrocinadores

melhores performances

As regiões Nordeste e Sudeste tiveram bom desempenho, influenciadas pela evolução positiva da indústria e serviços.

De acordo com o BC, a atividade econômica do Nordeste manteve ritmo expressivo de expansão no primeiro trimestre de 2022. O IBCR do Nordeste cresceu 1,8% no período, acima do patamar registrado no trimestre anterior, de 1,5%.

Os destaques são a indústria de transformação e as atividades de serviços. “As condições do mercado de trabalho continuam a melhorar, num ambiente de queda das taxas de desemprego”, refere o documento. Nos 12 meses até março, o índice de atividade cresceu 4,6%.

Patrocinadores

No Sudeste, a atividade econômica também acelerou no início do ano, refletindo o desempenho positivo do comércio e da indústria e o crescimento mais forte dos serviços.

O IBCR Sudeste cresceu 1,7% no primeiro trimestre, em relação ao imediatamente anterior, quando cresceu 0,6%.

“Entre os estados, as maiores contribuições vieram de SP (1,9%) e MG (1,8%), com destaque também para o crescimento da economia capixaba (3,4%), impulsionado pelo desempenho da indústria”, explicou o BC. No período de 12 meses encerrado em março, a economia do Sudeste registrou expansão de 4,9%, “em grande parte devido à redução da base de comparação”.

avaliação nacional

Patrocinadores

Nacionalmente, para o Banco Central, o ritmo da atividade econômica surpreendeu positivamente no primeiro trimestre, com desempenho mais homogêneo entre as atividades. A inflação, por outro lado, continuou pressionada, refletindo principalmente aumentos nos preços de alimentos e combustíveis

O Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país) no período apresentou ritmo de atividade acima do esperado, com crescimento de 1% em relação ao trimestre anterior, terceiro aumento consecutivo. No mesmo sentido, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central – Brasil (IBC-Br) variou 1% no primeiro trimestre do ano.

“Os indicadores de conjuntura da indústria, comércio e serviços mostraram resultados positivos, em linha com a continuidade do processo de normalização das atividades mais afetadas pela pandemia, a trajetória de recuperação do mercado de trabalho e a expansão do consumo das famílias. Do lado negativo, a agropecuária recuou no primeiro trimestre, refletindo a queda parcial da safra de soja – produto com alta participação no setor e com colheita concentrada no início do ano”, diz o Boletim Regional.

“Prospectivamente, novos incentivos ao consumo das famílias – saque extraordinário do FGTS e antecipação do 13º salário dos aposentados e pensionistas do INSS – e a perspectiva de avanço na agricultura e na indústria extrativa, após recuos no início do ano, reforçam a expectativa de crescimento da atividade no segundo trimestre”, avaliou o município.

Patrocinadores

(Débora Damasceno/Sou Agro com Agência Brasil)

Source link

agricultura agricultura de precisão agricultura familiar agrolink agronegocio agrotoxico Ambiente arroz avicultura biodiesel biotecnologia boi brasil cabras café cavalo certificação consultoria crédito rural ensino à distância etanol feijão flores frutas gado gado de corte geladeiras gestão rural milho noticias ovelha para pasto pecuaria pecuária leiteira pragas na agricultura Qual saúde Animal seguro rural setor sucroenergético SOJA suinocultura Treinamento trigo Turismo rural

Patrocinadores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Patrocinadores