Ampliação da eficiência produtiva em rebanhos leiteiros tropicais

A busca pela ampliação da eficiência produtiva em rebanhos leiteiros sob condições tropicais é um desafio constante para os pecuaristas. Diante desse cenário, o pecuarista Daniel Nasser, de Diamantina, Minas Gerais, está enfrentando a decisão estratégica de selecionar o touro ideal para cruzamento com suas vacas 1/4 Nelore e 3/4 Pardo Suíço e Jersolando. Assista ao vídeo abaixo e conheça mais sobre essa história fascinante.

A importância do planejamento genético para a eficiência produtiva

A eficiência produtiva em rebanhos leiteiros tropicais é influenciada pela genética dos animais e pelo manejo adequado. Por isso, a escolha do touro para cruzamento é crucial para garantir a produtividade e a rentabilidade do negócio de forma sustentável.

O papel do zootecnista Guilherme Marquez nesse cenário

O zootecnista Guilherme Marquez, uma autoridade em genética de gado de leite no Brasil, é um parceiro estratégico de Daniel Nasser nessa jornada em busca da excelência produtiva. Sua expertise e conhecimento são fundamentais para orientar as melhores práticas de seleção e cruzamento de animais.

———————————————————————————————-

Patrocinadores

Avaliação das raças para o cruzamento

A escolha do touro ideal para o cruzamento com vacas mestiças é crucial para o sucesso da produção leiteira. O zootecnista Guilherme Marquez destaca a importância de priorizar a fração taurina, especialmente em condições de estresse térmico. Neste contexto, a avaliação das raças – Guzerá Leiteiro, Sindi ou Caracu – é fundamental.

Guzerá leiteiro: a opção recomendada

Entre as opções disponíveis, o Guzerá Leiteiro se destaca como a escolha ideal para o rebanho de Daniel Nasser. Além de sua comprovada aptidão leiteira, o Guzerá Leiteiro contribui para elevar a produção leiteira do rebanho, proporcionando uma adaptação climática e aptidão dupla para carne e leite. Essa raça é a opção recomendada para atender às necessidades específicas de produção de leite de forma eficiente.

Estratégias para o cruzamento de vacas mestiças

Para otimizar a produção leiteira e garantir a viabilidade econômica do rebanho, a escolha estratégica de touros, como o Guzerá Leiteiro, é essencial. A orientação de Marquez destaca a importância de cruzamentos criteriosos para alcançar um rebanho mais produtivo e lucrativo, capaz de atender às demandas do mercado tanto para produção de leite quanto para carne.

————————————————————————————————–

Patrocinadores

Conclusão

Diante do desafio de selecionar o touro ideal para cruzamento com suas vacas mestiças, o pecuarista Daniel Nasser optou pelo Guzerá Leiteiro, seguindo a recomendação do zootecnista Guilherme Marquez. Essa decisão estratégica visa não apenas incrementar a produção leiteira, mas também garantir machos viáveis para o mercado de corte, otimizando o retorno econômico do rebanho. A escolha criteriosa de raças para cruzamento em condições tropicais mostra-se fundamental para alcançar um rebanho produtivo e lucrativo, capaz de enfrentar os desafios do ambiente e atender às demandas do mercado.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

Perguntas frequentes sobre a seleção de touros para cruzamento em rebanhos leiteiros

1. Qual a importância da seleção do touro ideal para cruzamento em rebanhos leiteiros?

A seleção do touro ideal é crucial para melhorar a eficiência produtiva do rebanho leiteiro, especialmente em condições tropicais.

2. Por que é importante priorizar a fração taurina no planejamento de cruzamentos no Brasil?

Priorizar a fração taurina é essencial devido à relevância do estresse térmico e à busca por animais mais adaptados ao clima tropical.

Patrocinadores

3. Qual a importância da composição taurina no rebanho em relação à produção leiteira?

A composição taurina no rebanho favorece a produção leiteira, proporcionando rusticidade e potencializando a eficiência produtiva.

4. Por que o Guzerá Leiteiro foi recomendado como a melhor opção para o cruzamento no caso específico de Daniel Nasser?

O Guzerá Leiteiro foi recomendado devido à sua comprovada aptidão leiteira, adaptabilidade ao clima tropical e potencial de produção de machos para corte.

5. Como as estratégias de cruzamento de vacas mestiças podem contribuir para a melhoria da produção leiteira?

A escolha criteriosa de touros, como o Guzerá Leiteiro, pode resultar em um rebanho mais produtivo e lucrativo, capaz de elevar a produção leiteira e fornecer machos viáveis para o mercado de corte.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

Patrocinadores

Na busca pela ampliação da eficiência produtiva em rebanhos leiteiros sob condições tropicais, o pecuarista Daniel Nasser, de Diamantina, Minas Gerais, encontra-se diante de uma decisão estratégica: selecionar o touro ideal para cruzamento com suas vacas 1/4 Nelore e 3/4 Pardo Suíço e Jersolando. Assista ao vídeo abaixo e confira essa história.

O zootecnista Guilherme Marquez, uma autoridade em genética de gado de leite no Brasil e destacado embaixador de conteúdo do Giro do Boi, oferece sua perspectiva.

Marquez ressalta a importância de priorizar a fração taurina no planejamento de cruzamentos no Brasil, dada a relevância do estresse térmico.

A composição atual do rebanho de Nasser, destacando-se por um equilíbrio de 75% taurinos e 25% zebuínos, favorece a produção leiteira com uma quota essencial de rusticidade.

Avaliação das raças para o cruzamento

Fêmea guzerá com bezerro ao pé. Foto: Divulgação

Entre as opções apresentadas – Guzerá Leiteiro, Sindi ou Caracu – o Caracu, por ser taurino, poderia elevar a composição taurina do rebanho, potencializando a produção leiteira, devido à sua adaptação climática e aptidão dupla (carne e leite).

Patrocinadores

No entanto, o Guzerá Leiteiro, com sua comprovada aptidão leiteira, surge como a escolha ideal no contexto específico de Nasser.

Guzerá leiteiro: a opção recomendada

Touro Guzerá Leiteiro. Foto: DivulgaçãoTouro Guzerá Leiteiro. Foto: Divulgação
Qual touro escolher para vacas mestiças? 5

Dada a necessidade de incrementar a produção leiteira além dos 13 quilos diários por cabeça, Marquez indica o Guzerá Leiteiro com características leiteiras comprovadas como a melhor escolha.

A utilização deste touro visa não apenas melhorar a produção leiteira com base nas provas de aptidão, mas também aproveitar os machos para corte, otimizando assim o retorno econômico geral do rebanho.

Estratégias para o cruzamento de vacas mestiças

botijao semen bovino 23.02.2023 1botijao semen bovino 23.02.2023 1
Qual touro escolher para vacas mestiças? 6

A orientação de Marquez para o caso de Nasser ilumina um caminho estratégico para o cruzamento de vacas mestiças em climas tropicais.

Patrocinadores

Através da escolha criteriosa de touros, como o Guzerá Leiteiro com histórico comprovado em provas leiteiras, é possível alcançar um rebanho mais produtivo e lucrativo, capaz tanto de elevar a produção leiteira quanto de produzir machos viáveis para o mercado de corte.

Tem dúvidas? Mande sua pergunta

Você também pode enviar sua pergunta. Mande-a pelo link do Whatsapp do Giro do Boi, pelo número (11) 95637-6922 ou ainda pelo e-mail [email protected].

Verifique a Fonte Aqui

Patrocinadores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here