Pular para o conteúdo

Produção agropecuária na política de mudanças climáticas: surpreenda-se!

Desenvolvimento Sustentável: O Papel da Agricultura Brasileira

A preocupação com as questões ambientais e a necessidade de desenvolvimento sustentável têm se tornado cada vez mais presentes nas discussões em diversas esferas da sociedade. Nesse contexto, a participação da agricultura brasileira tem se destacado como um importante agente de mudanças positivas, contribuindo para a mitigação dos efeitos das mudanças climáticas e para a promoção de práticas sustentáveis.

O Seminário Internacional e a Relevância do Mercado de Certificados de Captura e Emissão de Gases de Efeito Estufa

Nessa quinta-feira (22), gestores públicos de diferentes ministérios, acadêmicos, parlamentares e líderes da sociedade civil participaram de um importante evento que trouxe à tona a discussão sobre o mercado de certificados de captura e emissão de gases de efeito estufa. O Seminário Internacional realizado no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), abordou temas como emergência climática, desenvolvimento sustentável, economia de baixo carbono, novas tecnologias e certificação de créditos de carbono.

Os Resultados Obtidos pelo Setor Agropecuário Brasileiro sob a Política Nacional sobre Mudança do Clima

Entre os destaques do evento, esteve a apresentação dos resultados exitosos alcançados pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) no âmbito da Política Nacional sobre Mudança do Clima. O setor agropecuário brasileiro tem se destacado como um protagonista nas ações voltadas para a mitigação das mudanças climáticas, adotando estratégias baseadas em ciência e tecnologia que vão além do enfrentamento da crise climática.

———————————————————————————————-

Desenvolvimento

O Seminário Internacional destacou a importância da compatibilidade do Sistema Brasileiro de Comércio de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SBCE) com os modelos utilizados nos países desenvolvidos. Além disso, debates sobre a governança do sistema e a participação da agricultura no mercado regulado foram pontos centrais das discussões. Essas reflexões serão fundamentais para orientar a regulação e implementação eficaz do SBCE no Brasil.

Importância do Plano ABC+

A secretária do Mapa, Renata Miranda, enfatizou os avanços significativos obtidos com o Plano ABC+, que se tornou um modelo de referência para outros países no combate às mudanças climáticas. As ações implementadas no setor agropecuário brasileiro têm se mostrado eficazes não apenas na mitigação das mudanças climáticas, mas também na promoção da sustentabilidade, segurança alimentar e impacto positivo em diversos setores como o hídrico, econômico e energético.

Relevância do Plano ABC+

Teresa Vendramini e Raul Zoche destacaram a importância do Plano ABC+ na consecução das metas da agricultura brasileira relacionadas à mitigação dos efeitos climáticos e ao desenvolvimento sustentável. Zoche ressaltou que as tecnologias de baixo carbono oferecidas pelo Plano têm potencial para trazer mais rentabilidade aos agricultores e reduzir a necessidade de créditos de carbono. A implementação dessas práticas tem impacto direto na realidade dos agricultores, especialmente no agronegócio, demonstrando a relevância e viabilidade do Plano ABC+.

————————————————————————————————–

Conclusão: Agricultura brasileira é referência em ações sustentáveis

Diante dos resultados apresentados no Seminário Internacional sobre Certificados de Captura e Emissão de Gases de Efeito Estufa, fica evidente o protagonismo da agropecuária brasileira nas ações de enfrentamento à crise climática. O Plano ABC+ se destaca como uma referência para outros países, demonstrando que é possível promover o desenvolvimento sustentável e a mitigação dos efeitos climáticos por meio de estratégias baseadas em ciência e tecnologia. As tecnologias de baixo carbono oferecidas pelo plano não apenas contribuem para a redução de emissões, mas também trazem mais rentabilidade aos agricultores, impulsionando a sustentabilidade e a segurança alimentar no setor agropecuário. É fundamental que iniciativas como essa sejam cada vez mais incentivadas e adotadas em escala global, visando um futuro mais sustentável para o planeta.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

Impacto do Mercado de Certificados de Captura e Emissão de Gases de Efeito Estufa no Setor Agropecuário Brasileiro

Nessa quinta-feira (22), gestores públicos de diferentes ministérios, acadêmicos, parlamentares e líderes da sociedade civil participaram, no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), do Seminário Internacional “O Mercado de Certificados de Captura e Emissão de Gases de Efeito Estufa”. Na pauta do evento foram tratados temas relevantes como emergência climática, desenvolvimento sustentável, economia de baixo carbono, novas tecnologias, certificação de créditos de carbono, entre outros. Coube ao Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) apresentar os resultados exitosos no âmbito da Política Nacional sobre Mudança do Clima impulsionados pelo setor agropecuário brasileiro.

O Seminário teve como objetivo promover debates sobre a compatibilidade do Sistema Brasileiro de Comércio de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SBCE) com os utilizados nos países desenvolvidos, sua governança e a presença da agricultura no mercado regulado. Discussões que vão subsidiar a regulação e a forma de implementação do SBCE.

A secretária de Inovação, Desenvolvimento Sustentável, Irrigação e Cooperativismo do Mapa, Renata Miranda, trouxe em sua palestra um panorama da produção agropecuária brasileira e os avanços obtidos com o Plano ABC+, que tem se tornado referência para outros países no enfrentamento à crise climática.

FAQs sobre o Mercado de Certificados de Gases de Efeito Estufa e o Setor Agropecuário

1. Qual é a relevância do Plano ABC+ na agricultura brasileira?

O Plano ABC+ tem sido fundamental para a mitigação dos efeitos climáticos e o desenvolvimento sustentável do setor agropecuário brasileiro.

2. Como as tecnologias de baixo carbono impactam os agricultores?

As tecnologias oferecidas pelo Plano ABC+ trazem mais rentabilidade para os agricultores, reduzindo a necessidade de créditos de carbono.

3. Quais os temas debatidos no Seminário Internacional sobre o Mercado de Certificados de Emissão de Gases de Efeito Estufa?

No seminário foram discutidas questões como emergência climática, desenvolvimento sustentável, economia de baixo carbono, entre outros.

4. Como a agricultura brasileira se destaca no cenário internacional em relação às questões climáticas?

A agropecuária brasileira tem conquistado protagonismo por meio de ações científicas e tecnológicas que promovem a sustentabilidade e a segurança alimentar.

5. Quais foram os organizadores do Seminário Internacional sobre o Mercado de Certificados de Emissão de Gases de Efeito Estufa?

O Seminário foi promovido pela Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República (SRI), em parceria com o Conselho de Desenvolvimento Econômico Social e Sustentável (CDESS), a Fundação Brasileira para a Conservação da Natureza (FBCN) e o Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP).

Informação à imprensa
Soraya Brandão
[email protected]

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

Nessa quinta-feira (22), gestores públicos de diferentes ministérios, acadêmicos, parlamentares e líderes da sociedade civil participaram, no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), do Seminário Internacional “O Mercado de Certificados de Captura e Emissão de Gases de Efeito Estufa”. Na pauta do evento foram tratados temas relevantes como emergência climática, desenvolvimento sustentável, economia de baixo carbono, novas tecnologias, certificação de créditos de carbono, entre outros. Coube ao Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) apresentar os resultados exitosos no âmbito da Política Nacional sobre Mudança do Clima impulsionados pelo setor agropecuário brasileiro.

O Seminário teve como objetivo promover debates sobre a compatibilidade do Sistema Brasileiro de Comércio de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SBCE) com os utilizados nos países desenvolvidos, sua governança e a presença da agricultura no mercado regulado. Discussões que vão subsidiar a regulação e a forma de implementação do SBCE.

A secretária de Inovação, Desenvolvimento Sustentável, Irrigação e Cooperativismo do Mapa, Renata Miranda, trouxe em sua palestra um panorama da produção agropecuária brasileira e os avanços obtidos com o Plano ABC+, que tem se tornado referência para outros países no enfrentamento à crise climática.

“O protagonismo conquistado pela agropecuária brasileira é resultado de ações construídas com bases científicas e tecnológicas, que vão além da mitigação das mudanças climáticas. São estratégias que impactam positivamente, também, os setores hídrico, econômico e energético, promovendo a sustentabilidade e a segurança alimentar na agricultura”, completou a secretária.

A conselheira da Sociedade Rural Brasileira e pecuarista, Teresa Vendramini, e o assessor de Meio Ambiente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura, Raul Zoche, debatedores do painel, também destacaram a relevância do Plano ABC+ na conquista das metas almejadas pela agricultura brasileira no tocante à mitigação dos efeitos climáticos e o desenvolvimento sustentável.

Raul Zoche ressaltou que o plano ABC+ mudou a realidade de muitos agricultores, especialmente do agronegócio. Segundo ele, quem adotar as tecnologias de baixo carbono oferecidas pelo Plano, não vai necessariamente precisar de crédito de carbono, pois elas trazem mais rentabilidade.

O Seminário foi promovido pela Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República (SRI), em parceria com o Conselho de Desenvolvimento Econômico Social e Sustentável (CDESS), a Fundação Brasileira para a Conservação da Natureza (FBCN) e o Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP).

Informação à imprensa
Soraya Brandão
[email protected]

Verifique a Fonte Aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Patrocinadores