mercado do boi
Mercado do boi: preços caem com escalas confortáveis 2

O mercado do boi teve uma queda nos preços nesta semana devido à escalas confortáveis de abate nos frigoríficos.

De acordo com informações do boletim diário da Scot Consultoria, a maior pressão baixista é na região de São Paulo e Triângulo Mineiro, onde a oferta está maior.

O indicador Esalq/B3 para o boi gordo fechou em R$ 312,80/@ na quarta-feira (14), uma queda de 0,77% em relação à semana anterior. Já em Goiás, a pressão foi menor e houve valorização de 0,3% na semana, com o preço do boi gordo cotado a R$ 306/@.

Segundo a Scot Consultoria, o mercado de carne bovina não tem sido afetado pela queda nos preços do boi gordo, visto que a demanda segue aquecida. Além disso, a expectativa é de que haja uma alta nos preços da carne no varejo nas próximas semanas, devido à proximidade do Dia das Mães e ao início do mês, período em que o consumo tende a aumentar.

Patrocinadores

Com as escalas confortáveis nos frigoríficos, os pecuaristas têm se mostrado mais cautelosos nas vendas, aguardando um possível aumento nos preços no curto prazo. A expectativa é de que a oferta de animais continue crescente, com a entrada de animais de confinamento no mercado.

Mercado do boi: preços caem com escalas confortáveis qual e o futuro

O mercado do boi gordo vem enfrentando uma queda nos preços nas últimas semanas, em todas as regiões do país. Segundo analistas, a combinação de fatores como escalas dos frigoríficos mais alongadas, oferta em alta e dólar fraco enfraquecem os preços do boi.

As escalas de abate dos frigoríficos estão confortáveis, com média de 8 a 10 dias, o que reduz a necessidade de compras no mercado físico. Além disso, a oferta de animais terminados em confinamento aumentou neste período do ano, pressionando os valores da arroba.

Outro fator que influencia o mercado do boi é o câmbio. O dólar vem se desvalorizando frente ao real nas últimas semanas, o que diminui a competitividade da carne bovina brasileira no mercado internacional. Com isso, as exportações tendem a cair, reduzindo a demanda pela proteína.

Patrocinadores

Segundo dados do Canal Rural, em São Paulo (SP), a referência para a arroba do boi caiu em R$6 chegando a R$ 316. Já em Dourados (MS), os preços também foram para R$291. Ao mesmo tempo, em Cuiabá (MT) a arroba de boi gordo caiu R$8 ficando em R$ 293. Por outro lado, em Uberaba (MG), os preços continuam a R$ 300.

Qual é o futuro do mercado do boi?

Diante desse cenário de baixa nos preços do boi gordo, qual é a perspectiva para o futuro? Segundo especialistas, há alguns fatores que podem mudar o rumo do mercado nos próximos meses.

Um deles é a demanda interna. Com a melhora da economia e da renda dos consumidores, espera-se um aumento do consumo de carne bovina no país, principalmente na primeira quinzena de agosto, quando há o pagamento dos salários e o Dia dos Pais.

Patrocinadores

Outro fator é a demanda externa. Após o embargo temporário da China à carne bovina brasileira por causa de casos de vaca louca atípica, as exportações devem retomar o ritmo normal nos próximos meses. A China é o principal destino da carne bovina brasileira e paga bons preços pela proteína.

Além disso, há outros mercados que podem se abrir para o Brasil, como os Estados Unidos, que recentemente liberaram a importação de carne in natura brasileira após quatro anos de suspensão. Há também a expectativa de avanço nas negociações com países como Indonésia, Tailândia e Filipinas.

Por fim, há o fator climático. Com a chegada da seca nas principais regiões produtoras de boi gordo, a oferta de animais tende a diminuir nos próximos meses, o que pode sustentar os preços da arroba. Além disso, há o risco de geadas que podem afetar as pastagens e prejudicar a engorda dos animais.

Portanto, o mercado do boi gordo pode apresentar uma recuperação nos preços nos próximos meses, dependendo do comportamento da demanda interna e externa e das condições climáticas. No entanto, os produtores devem ficar atentos aos custos de produção e à margem de lucro da atividade.

Patrocinadores

 

 

O mercado físico de gado gordo tiveram preços mais baixos nesta sexta-feira (14). A informação é de Culturas e Mercado.

  • Preços do gado caem devido a escala confortável de abate nos frigoríficos;
  • A oferta de gado vivo segue em ritmo crescente, com aumento da disposição de porcas, principalmente no Centro-Norte brasileiro;
  • A arroba de boi gordo custa R$ 276 em São Paulo, R$ 269 em Dourados (MS), R$ 249 em Cuiabá, R$ 260 em Goiânia e R$ 275 em Uberaba.

mercado do boi atacado

  • Preços da carne bovina no atacado estão acomodados, com menor apelo ao consumo na segunda quinzena e proteínas concorrentes mais competitivas, principalmente carne de frango
  • Os preços do quarto traseiro são de R$ 20,35 o quilo
  • Dianteira a R$ 15 o quilo
  • E ponta de agulha a R$ 15,10 o quilo
  • O dólar comercial encerra a sessão em baixa de 0,22%, sendo negociado a R$ 4,9160 na venda e R$ 4,9140 na compra, acumulando queda de 2,83% frente ao real na semana.

Canal Rural

agricultura agricultura de precisão agricultura familiar agrolink agronegocio agrotoxico Ambiente arroz avicultura biodiesel biotecnologia boi brasil cabras café cavalo certificação consultoria crédito rural ensino à distância etanol feijão flores frutas gado gado de corte geladeiras gestão rural milho noticias ovelha para pasto pecuaria pecuária leiteira pragas na agricultura Qual saúde Animal seguro rural setor sucroenergético SOJA suinocultura Treinamento trigo Turismo rural

Patrocinadores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here