Pular para o conteúdo
Patrocinadores

Haddad aponta diminuição da atividade econômica e exige um corte inicial “adequado”

Haddad faz apresentacao detalhada de arcabouco fiscal a Lula anuncio

tag:reutersPor Patrícia Vilas Boas

SÃO PAULO (Reuters) – O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse nesta sexta-feira que há espaço para um corte “razoável” da taxa Selic pelo Banco Central e que a autarquia tem condições de iniciar o ciclo de baixa com baixa consistente, afirmando que a economia tem sofrido uma desaceleração devido ao atual nível das taxas de juros.

Haddad afirmou que a atual taxa básica de juros, em 13,75% ao ano, está longe do patamar neutro, patamar que não impulsiona nem desacelera a economia, e que quedas em diversos setores da inflação justificam o fim do ciclo de aperto monetário .

“Eu realmente acho que há espaço para um corte razoável, um início de corte razoável, porque estamos muito longe do que o Banco Central chama de taxa de juros neutra”, disse o ministro em entrevista a jornalistas. “Portanto, há uma quantidade generosa de espaço para aproveitar.”

Patrocinadores

Questionado sobre o possível volume de redução da taxa Selic, Haddad respondeu: “Se quisermos chegar a um patamar neutro de juros, teríamos que cortar a taxa real de juros em 5%, que são dez ‘Copoms’ a 0,5 pp” .

Segundo levantamento feito pela Reuters, o Banco Central deve cortar a taxa Selic pela primeira vez em três anos ao encerrar a reunião de política monetária de agosto na próxima semana, em meio a sinais de arrefecimento da inflação e maior otimismo com a conjuntura. economia no Brasil, com a maioria dos economistas apostando em um ritmo de flexibilização suave.

A opinião de 36 dos 46 economistas ouvidos pela Reuters é de que o Banco Central cortará os juros básicos em 0,25 ponto percentual nas reuniões de 1º e 2 de agosto.

Na entrevista, Haddad afirmou que apesar dos indicadores positivos, como a queda da taxa de desemprego para 8% no segundo trimestre anunciada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a economia está “sofrendo um processo de desaceleração” devido às taxas de juros na casa dos dois dígitos.

Patrocinadores

“A economia está sofrendo um processo de desaceleração devido aos juros reais da casa de 10%, que é quase o dobro do país que mais cobra juros depois do Brasil”, afirmou.

“Os ventos estão favoráveis, o mundo está olhando para o Brasil com outros olhos, com outra percepção, mas já é hora de alinharmos política fiscal e monetária”.

A declaração do ministro da Fazenda ocorreu após a agência DBRS Morning Star elevar a nota de crédito de longo prazo do Brasil nesta sexta-feira para “BB”, contra “BB (baixo)”.

Esta é a terceira agência de rating a melhorar a posição do país recentemente, depois que a Fitch, na quarta-feira, elevou de “BB-” para “BB”, e a S&P mudou a perspectiva de “estável” para “positiva”. ” em junho.

Patrocinadores

Haddad acrescentou que a agenda da Câmara dos Deputados para o próximo mês está “bem alinhada” em relação a dois projetos prioritários do governo, o marco de garantias e o marco fiscal. Ele afirmou que o governo depende da aprovação final do quadro fiscal para concluir a peça do Projeto de Lei Orçamentária (PLO).

“O arcabouço precisa ter sua solução definida, até para que a peça orçamentária seja concluída e encaminhada ao Congresso. Dependemos dessa decisão para finalizar o texto do OLP”. Antes de entrar em recesso, a Câmara concluiu a votação da reforma tributária e do Carf, mas adiou para agosto a análise do novo quadro fiscal.


Jornal do campo
Título: Ministro da Fazenda defende corte da taxa Selic com base na desaceleração da economia

Introdução:
O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, declarou que há espaço para um corte “razoável” da taxa Selic pelo Banco Central. De acordo com o ministro, a economia tem sofrido uma desaceleração devido ao atual nível das taxas de juros. Ele afirmou que a taxa básica de juros está longe do patamar neutro e que a redução seria justificada pelos indicadores de inflação.

Patrocinadores

Desenvolvimento:
Haddad argumenta que, para chegar ao patamar neutro de juros, seria necessário cortar a taxa real em 5%, o equivalente a dez ‘Copoms’ a 0,5 pp. O Banco Central, segundo levantamento da Reuters, deve cortar a taxa Selic pela primeira vez em três anos na próxima reunião de política monetária de agosto. O ministro ressalta que a economia está sofrendo uma desaceleração devido aos juros reais da casa de 10%, que é considerado alto em comparação com outros países.

Além disso, Haddad destaca que a economia brasileira está recebendo sinais favoráveis, como a queda da taxa de desemprego, mas é necessário alinhar a política fiscal e monetária. Ele ressalta que a agenda da Câmara dos Deputados para o próximo mês está alinhada com os projetos prioritários do governo, como o marco de garantias e o marco fiscal, e que a aprovação final do quadro fiscal é essencial para finalizar a peça do Projeto de Lei Orçamentária (PLO).

Conclusão:
O posicionamento do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, reforça a expectativa de um corte na taxa Selic pelo Banco Central. A declaração é embasada na desaceleração da economia e nas altas taxas de juros reais. Com a redução da taxa básica, espera-se uma retomada do crescimento econômico e uma maior movimentação nos setores produtivos.

Perguntas e respostas frequentes:

Patrocinadores

1. Qual é o motivo para o ministro Haddad defender um corte da taxa Selic?
R: O ministro Haddad defende o corte da taxa Selic devido à desaceleração da economia e às altas taxas de juros reais.

2. Quais são as expectativas em relação ao corte da taxa Selic pelo Banco Central?
R: Segundo levantamento da Reuters, a expectativa é que o Banco Central corte a taxa Selic pela primeira vez em três anos na próxima reunião de política monetária de agosto.

3. Qual é o patamar neutro de juros?
R: O patamar neutro de juros é aquele que não impulsiona nem desacelera a economia.

4. Como a taxa de desemprego está relacionada à desaceleração da economia?
R: A queda da taxa de desemprego é um indicador positivo, mas a desaceleração da economia está relacionada às altas taxas de juros reais.

Patrocinadores

5. O que é necessário para finalizar a peça do Projeto de Lei Orçamentária (PLO)?
R: Segundo o ministro Haddad, é necessário a aprovação final do quadro fiscal para finalizar a peça do PLO.

Fonte
**Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo**

Patrocinadores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Patrocinadores