CONHECAM OS TIPOS DE PELAGEM DOS CAVALOS .

cavalos Equinocultura

Os tipos de pelagens são diversos, dependendo da raça, apresentam diversas variações. E para o veterinário Rivaldo Nunes “O cavalo que está com o pelo brilhante, aspecto vivo, sem manifestar anormalidades nos seus movimentos aparenta estar sadio”.A verificação do animal deve ser feita por um técnico credenciado para que seja possível identificar sinais característicos do cavalo como, por exemplo, estrelas na cabeça e olhos azuis, que são marcas que não vão ser alteradas no desenvolvimento do animal. Também é feita uma indicação de pelagem, isso porque alguns fatores podem influenciar na cor da pelagem dificultando a sua imediata identificação.Somente a partir dos dois anos de idade, quando o animal é apresentado para a confirmação, é que fica registrada definitivamente a pelagem do animal. Isso ocorre porque a coloração do pêlo muda até os dois anos, por exemplo, os tordilhos, nascem escuros, alguns pretos, o que se altera com o desenvolvimento do animal. Esse processo de resenha e confirmação é baseado nas regras de muitas associações de cavalos podendo variar conforme cada tipo de raça.As pelagens básicas se constituem em: Alazão, Baio, Branco, Cebruno, Colorado, Douradilho, Gateado, Mouro, Oveiro, Picaço, Preto, Rosilho, Tobiano, Tordilho e Zaino.
Pelagens Compostas:
Alazão chamalotado ou apatacado: Quando tem manchas mais claras e arredondadas.
Alazão dourado: O típico com reflexos do ouro.
Alazão típico: O que tem a cor da brasa ou da cereja.
Alazão ruano: Quando tem a cauda e crina claras.
Branco albino, melado ou rosado: Quando há uma despigmentação congênita, inteira ou parcial, das pestanas e da íris. Sua pelagem tem reflexos rosados. É sensível ao sol.
Branco porcelana: O que tem manchas pretas, as quais, por transparência, por meio dos pelos brancos, produzem reflexos azuis da porcelana.
Baia – pelagem creme amarelada, com brilho e bastantes variações. Conhecida como a cor do trigo maduro.
Baio branco ou claro: É uma tonalidade de creme desmaiado.
Branco mosqueado: O que leva pelo corpo, em forma irregular, pontos pretos do tamanho de uma mosca.
Baio achamalotado ou apatacado: Quando apresenta manchas redondas e mais claras do que o resto do corpo.
Baio amarelo: É como uma gema de ovo, quando estendida numa porcelana branca.
Baio encerado: Quando tem a cor mais escura, parecendo-se com a cera virgem.
Baio cabos negros: Quando tem as extremidades dos membros, da cauda e a crina escuras.
Baio cebruno: Também escura, levando no corpo manchas mais escuras do que o baio encerado.
Baio dourado: quando tem reflexos do ouro.
Baio ovo de pato: Quando tem uma cor amarelado creme. Sua crina, cauda e cascos também são creme.
Baio ruano: é um baio com a cauda e crinas claras.
Cebruno ou barroso: Com a tonalidade mais escura do que a do baio cebruno, parecendo-se com a cor do elefante.
Gateada – pelagem de muitas variações. Apresenta predomínio do amarelo mais escuro que o baio, e uma linha escura da cernelha até a cola.
Gateado típico: É um baio escuro acebrunado nas quatro patas e com uma linha escura, que vai da cernelha à garupa, com aproximadamente dois dedos de largura.
Gateado osco ou pardo: É mais escuro que o típico, assemelhando-se ao gato pardo.
Gateado pangaré: O que tem o focinho, as axilas e o ventre com a pelagem mais clara.
Gateado ruivo: O que tem a cauda e a crina aproximada a cor do fogo.
Lobuna – pelagem que lembra pelo de rato, cor de cinza. Apresenta uma linha escura da cernelha até a cola.
Lobuno claro: Quando se parece com a plumagem de uma pomba.
Lobuno escuro: Quando mais escuro do que o lobuno claro.
Moura – pelagem de capa preta com difusão de pelos brancos. Tem cabeça, patas, crinas e cola negras.
Mouro negro: Se parece com o tordilho negro, com tonalidade azulada.
Mouro claro: É um gris azulado.
Oveira – apresenta manchas brancas assimétricas, espalhadas por todo o corpo.
Oveiro bragado: Quando em qualquer pelagem portam manchas isoladas no baixo ventre.
Oveiro chita: É oveiro com manchas brancas salpicadas num fundo rosilho.
Oveiro de índio: Qualquer pelagem com manchas de tamanho médio.
Oveiro chita: É oveiro com manchas brancas salpicadas num fundo rosilho.
Oveiro azulego: É um mouro claro com manchas brancas.
Preta – pelagem toda preta. Alguns crioulos apresentam pequena estrela na cabeça.
Preto típico: Tem a tonalidade semelhante ao carvão.
Preto azeviche: Preto vivo com reflexos brilhantres.
Rosilha – pelagem de capa avermelhada, com mistura de pelos brancos esparsos que não chegam a formar manchas específicas.
Rosilho abaiado: Quando tem pelos amarelados entre o vermelho e o branco.
Rosilho claro ou prateado: Quando predominam os pelos brancos sobre os vermelhos.
Rosilho colorado: Quando predominam os pelos vermelhos sobre os brancos.
Rosilho gateado: É um gateado com pelos brancos.
Rosilho mouro: É uma mescla entre pelos vermelhos, brancos e pretos.
Rosilho oveiro: Quando dentro da pelagem rosilha tem manchas brancas.
Rosilho tostado: Quando tem pelos tostados em lugar dos vermelhos.
Tordilha – pelagem que se divide entre pelos brancos e pretos, que tendem a clarear com o desenvolvimento do animal
Tordilho claro: Quando tem predominância de pelos brancos.
Tordilho negro: Predomina os pelos pretos. Com a idade vai se tornando claro.
Tordilho chamalotado ou apacatado: Quando com manchas arredondadas mais claras.
Tostada – pelagem de um amarelo muito escuro, puxando para o vermelho que pode ser comparada com a cor do café torrado.
Zaina – pelagem marrom avermelhada escura com alguns pelos pretos, lembrando muito a cor do pinhão.
Zaino claro: Da cor da castanha.
Zaino negro: Como a castanha mais escura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *