Capim estrela africana uma opção a nutrição do gado
Capim estrela africana uma opção a nutrição do gado 2

O capim Estrela Africana é uma das opções de forrageiras para a pecuária de corte e leite, especialmente em regiões tropicais e subtropicais. Mas será que ele vai bem em sistema rotacionado? Neste post, vamos apresentar algumas características, vantagens e desafios dessa gramínea originária do leste africano.

O que é o capim Estrela Africana?

O capim Estrela Africana é uma gramínea perene que pertence ao gênero Cynodon. Existem duas variedades principais: a Estrela Africana Roxa (Cynodon nlemfuensis) e a Estrela Africana Branca (Cynodon plectostachyus). Ambas se caracterizam por ter um crescimento prostrado, com colmos longos e muitos estolões superficiais, que podem atingir até 10 metros de comprimento. Essa característica confere ao capim Estrela Africana uma alta capacidade de cobertura do solo e de resistência ao pisoteio dos animais.

O capim Estrela Africana se adapta bem a solos de média a alta fertilidade, bem drenados e com pH entre 5,5 e 6,5. Ele também é tolerante a períodos curtos de encharcamento do solo, mas não suporta solos salinos ou alcalinos. Quanto ao clima, o capim Estrela Africana prefere temperaturas elevadas, entre 25°C e 35°C, e precipitação pluviométrica entre 635 e 1700 mm anuais. Ele tem uma tolerância média ao frio, podendo sofrer redução de crescimento e qualidade na estação seca ou em regiões mais frias.

Patrocinadores

O capim Estrela Africana tem uma boa produção de forragem, podendo alcançar até 25 toneladas de matéria seca por hectare por ano, dependendo das condições de manejo e fertilização. Ele também tem uma boa qualidade nutricional, com teor de proteína bruta entre 15% e 20% na matéria seca, e de nutrientes digestíveis totais entre 55% e 65%. Além disso, ele tem uma boa palatabilidade e digestibilidade pelos animais, sendo indicado para bovinos de corte e leite, caprinos, ovinos e equinos.

Como implantar o capim Estrela Africana?

O capim Estrela Africana pode ser implantado por meio de mudas ou sementes. As mudas são obtidas a partir dos estolões da planta, que devem ser cortados em pedaços de cerca de 20 cm e plantados em sulcos com profundidade de 5 cm e espaçamento de 50 cm entre linhas e 30 cm entre plantas. As mudas devem ser irrigadas logo após o plantio e mantidas úmidas até o pegamento. A taxa de semeadura é de cerca de 10 toneladas de mudas por hectare.

As sementes do capim Estrela Africana são pequenas e leves, o que dificulta a sua distribuição uniforme no solo. Por isso, recomenda-se misturá-las com areia ou adubo orgânico antes da semeadura. As sementes devem ser semeadas em sulcos com profundidade de 1 cm e espaçamento de 50 cm entre linhas. A taxa de semeadura é de cerca de 2 kg de sementes por hectare. As sementes também devem ser irrigadas logo após o plantio e mantidas úmidas até a germinação.

O capim Estrela Africana deve ser implantado preferencialmente no início da estação chuvosa, para garantir uma boa germinação ou pegamento das mudas. O solo deve ser preparado com uma aração e gradagem para eliminar as plantas invasoras e incorporar os corretivos e fertilizantes necessários. Recomenda-se fazer uma análise do solo antes do plantio para determinar as doses adequadas de calcário, fósforo

Patrocinadores

Fonte

agricultura agricultura de precisão agricultura familiar agrolink agronegocio agrotoxico arroz avicultura biodiesel biotecnologia boi brasil cabras café cavalo certificação consultoria crédito rural descubra ensino à distância etanol feijão flores frutas gado gado de corte geladeiras gestão rural milho noticias ovelha para pasto pecuaria pecuária leiteira pragas na agricultura Qual saúde Animal seguro rural setor sucroenergético SOJA suinocultura Treinamento trigo Turismo rural

Patrocinadores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here