Pular para o conteúdo

Caça de javalis: Ibama retoma avaliação.

Como o Retorno do Sistema de Informação de Manejo de Fauna Pode Impactar o Agronegócio

A retomada do Sistema de Informação de Manejo de Fauna (Simaf) para solicitações de autorização de controle de espécies exóticas, como o javali, pelo Ibama é vista como um avanço pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS). No entanto, a necessidade de um manejo adequado e responsável da espécie se mostra fundamental para promover a segurança pública e a preservação do meio ambiente. Este artigo analisa o impacto dessa retomada para o agronegócio, considerando a importância do controle sanitário da produção suinícola e os esforços da ABCS para esclarecer a importância desse manejo e trabalhar em conjunto com entidades governamentais e parlamentares. Este post irá explorar os aspectos do Simaf, a importância da caça como forma de manejo e as ações em andamento no Congresso Nacional em relação ao controle populacional dessas espécies invasoras.
———————————————————————————————-

Controle de Espécies Exóticas Invasoras

A retomada do Sistema de Informação de Manejo de Fauna (Simaf) para emissão de novas solicitações de autorização de controle de espécies exóticas invasoras, como o javali, foi comemorada pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS). Os esforços da associação e da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) foram essenciais para que a decisão do Ibama se concretizasse. O controle do javali é fundamental para garantir a segurança pública, a preservação do meio ambiente e a sanidade da produção suinícola. A caça é vista como o meio de manejo mais eficaz no atual momento para controlar o crescimento exponencial dos javalis e evitar que esses animais levem doenças como a Peste Suína Clássica (PSC) da Zona Não Livre (ZnL) para a Zona Livre (ZL).

Projeto de Lei 3384/2021

A ABCS trabalhou intensamente para a urgência do tema e a necessidade de se trabalhar o Projeto de Lei 3384/2021, que autoriza o controle populacional de espécies exóticas invasoras nocivas e estabelece condições para o consumo, a distribuição e a comercialização de produtos e subprodutos resultantes do abate desses animais. A entidade apoia a caça dos javalis como um dos meios de controle populacional, mas é contrária à comercialização desses subprodutos sem a devida inspeção sanitária dos órgãos de governo para evitar a circulação de doenças transmissíveis aos suínos. A busca por formas alternativas de manejo desses animais além da caça tem sido uma das abordagens da ABCS em relação a esse tema. As diversas reuniões entre representantes do governo, parlamentares, setor produtivo e ONGs de defesa dos animais resultaram em Audiências Públicas na Câmara dos Deputados e em um diálogo mais técnico e efetivo com o Ibama.

Acompanhamento do Tema

Em 2024, o Projeto de Lei 3384/2021 continuará em análise na Câmara dos Deputados e a ABCS seguirá acompanhando o assunto de perto, buscando garantir que as práticas de manejo do javali sejam eficazes e seguras para a saúde pública e a produção suinícola.

Principais Pontos

– Retomada do Sistema de Informação de Manejo de Fauna (Simaf)
– Controle populacional do javali
– Projeto de Lei 3384/2021
– Necessidade de inspeção sanitária dos produtos e subprodutos do abate dos javalis
– Acompanhamento do tema pela ABCS
————————————————————————————————–

A Importância da Regulamentação para o Controle de Espécies Exóticas Invasoras

A retomada do Sistema de Informação de Manejo de Fauna (Simaf) para emissão de solicitações de controle do javali é uma medida essencial para garantir o manejo adequado e responsável da espécie. A decisão do Ibama reforça o controle sanitário da produção suinícola e promove a segurança pública e a preservação do meio ambiente. A Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) continuará acompanhando e atuando ativamente nesse tema em 2024.
Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

IBAMA retoma avaliação de pedidos para caça de javalis

A Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) enxerga como um avanço a retomada do Sistema de Informação de Manejo de Fauna (Simaf) para emissão de novas solicitações de autorização de controle de espécies exóticas invasoras, como o javali, que o Ibama anunciou na última semana de 2023. A medida visa garantir o manejo adequado e responsável da espécie, promovendo a segurança pública e a preservação do meio ambiente.

FAQs sobre a retomada do Sistema de Informação de Manejo de Fauna (Simaf)

1. Qual é o objetivo da retomada do Simaf pelo Ibama?

A retomada do Simaf pelo Ibama visa garantir o manejo adequado e responsável de espécies exóticas invasoras, como o javali, para promover a segurança pública e a preservação do meio ambiente.

2. Por que a caça é considerada a forma mais eficaz de manejo dos javalis?

A caça é considerada a forma mais eficaz de manejo dos javalis no atual momento, pois controla o crescimento exponencial desses animais e evita que transmitam doenças, como a Peste Suína Clássica, para os suínos de produção.

3. Qual é o papel da ABCS em relação ao controle populacional de javalis?

A ABCS tem trabalhado junto a parlamentares e entidades parceiras para esclarecer a importância da caça como forma de controle populacional dos javalis e evitar a entrada de doenças nas áreas livres.

4. O que o Projeto de Lei 3384/2021 propõe em relação ao controle populacional de espécies exóticas invasoras nocivas?

O Projeto de Lei 3384/2021 propõe autorizar o controle populacional de espécies exóticas invasoras nocivas, estabelecendo condições para o consumo, distribuição e comercialização de produtos e subprodutos resultantes do abate desses animais.

5. Qual é o próximo passo em relação ao tema?

Em 2024, o Projeto de Lei 3384/2021 continuará em análise na Câmara dos Deputados, e a ABCS seguirá acompanhando o tema em parceria com o governo, parlamentares e outras entidades.

(Redação Sou Agro/Sou Agro)

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

A Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) enxerga como um avanço a retomada do Sistema de Informação de Manejo de Fauna (Simaf) para emissão de novas solicitações de autorização de controle de espécies exóticas invasoras, como o javali, que o Ibama anunciou na última semana de 2023. A medida visa garantir o manejo adequado e responsável da espécie, promovendo a segurança pública e a preservação do meio ambiente.

A pauta foi uma das prioridades da ABCS no último ano, trabalhada juntamente com os deputados da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e demais entidades do agronegócio. Para o presidente da associação, Marcelo Lopes, a decisão do Ibama é essencial para reforçar o controle sanitário da produção suinícola. “O javali é responsável por prejuízos à produção agrícola e por causar riscos sanitários a suinocultura, podendo passar doenças aos animais de produção, causando impactos negativos ao setor”.

A gerente de relações governamentais da entidade, Ana Paula Cenci, ressalta o trabalho feito nos bastidores com parlamentares e entidades parceiras a fim de esclarecer que a caça é a forma de manejo mais eficaz que se tem no atual momento, pois controla o crescimento exponencial dos javalis e evita, principalmente, que estes animais levem doenças como a Peste Suína Clássica (PSC) da Zona Não Livre (ZnL) para a Zona Livre (ZL).  “A entrada da PSC na ZL causaria grande prejuízos a cadeia suinícola, afetando diretamente as exportações de carne suína, por se tratar de uma doença de notificação obrigatória junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA) — antiga OIE”.

Cenci lembra que a ABCS provocou, dentro do Instituto Pensar Agro, a urgência do tema e a necessidade de se trabalhar o Projeto de Lei 3384/2021 que está atualmente na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS) da Câmara dos Deputados e que autoriza o controle populacional de espécies exóticas invasoras nocivas, estabelece condições para o consumo, a distribuição e a comercialização de produtos e subprodutos resultantes do abate desses animais.

A gerente de relações governamentais, Ana Paula Cenci, explica ainda que a ABCS é a favor da caça dos javalis como um dos meios de controle populacional, mas contrários a comercialização desses subprodutos sem a devida inspeção sanitária dos órgãos de governo a fim de evitar a circulação de doenças transmissíveis aos suínos.  “Nesse contexto, a entidade esteve presente no gabinete do relator do projeto e dos parlamentares membros da Frente de Defesa dos Animais, a fim de esclarecer que a Associação, juntamente com a Embrapa e o Ministério, vem buscando formas alternativas de manejo desses animais além da caça, mas que atualmente, esta tem sido a mais eficiente frente ao crescimento exponencial das espécies exóticas, como os javalis, nos últimos anos”.

As diversas reuniões sobre esse assunto entre representantes do governo, parlamentares, setor produtivo e ONGs de defesa dos animais resultou em Audiências Públicas na Câmara dos Deputados e na abertura de um diálogo mais técnico e efetivo com o Ibama.

Em 2024 o Projeto vai continuar em análise na Câmara dos Deputados e a ABCS seguirá acompanhando o tema.

(Com ABCS)

(Redação Sou Agro/Sou Agro)

Verifique a Fonte Aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *