Quais são as melhores raças de gado de corte?
Quais são as melhores raças de gado de corte?

A pecuária de corte movimenta quase R$ 750 bilhões por ano, o que representa 10% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, segundo a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec).

Um rebanho de 187 milhões de cabeças ocupa um espaço limitado de 165 milhões de hectares de pasto; portanto, o crescimento do faturamento do setor depende, principalmente, do aumento da produtividade do gado de corte.

Nesse sentido, a escolha da melhor genética é o primeiro passo para alavancar a produção de carne. Conheça as melhores raças de gado de corte para pecuária brasileira.

De origem europeia, o boi Angus se adaptou ao clima brasileiro, sobretudo nas regiões mais frias. Esses animais têm fertilidade, facilidade de parto e longevidade boas, além de desenvolvimento precoce.

Patrocinadores

A carne é suculenta e macia, conhecida pelo excelente marmoreio, o que garante um mercado amplo e qualificado.

O gado de corte Brahman é indicado para a produção de carcaças para indústrias.

Adaptados aos climas quentes e frios, esses animais podem ser cruzados facilmente com outras raças, como a Nelore, para elevar seu desempenho.

As fêmeas se reproduzem até os 20 anos de idade. Além da pecuária de corte, essa raça é utilizada para a produção leiteira.

Patrocinadores

Fruto do cruzamento das raças Brahman e Angus, o gado Brangus alia a rusticidade com a marmorização da carne.

Criado em confinamento devido à dificuldade de adaptação ao clima tropical, a raça tem um ganho de peso elevado com rendimento de carcaça que chega a 60%. Sua carne é apreciada por boutiques.

A raça Canchim é fruto de um desenvolvimento científico que buscou obter uma carne de qualidade adaptada às condições brasileiras com mais precocidade, mas sem perder a rusticidade.

Assim, gerada pelo cruzamento entre o Zebu e o Charolês, a raça suporta altas temperaturas e apresenta uma boa reprodutividade, sendo indicada para o cruzamento industrial.

Patrocinadores

O Guzerá é uma raça zebuína com machos que pesam até 950 quilos.

Com uma alta fertilidade, além do gado de corte, o rebanho pode ser utilizado para a criação de reprodutores.

Os animais são resistentes a períodos de seca sem perder peso e ainda têm aptidão para o leite.

As principais características da raça Hereford são a fertilidade, a rusticidade, a longevidade e a eficiência alimentar.

Patrocinadores

Com fácil adaptabilidade, esses animais são criados amplamente em várias regiões do mundo, o ciclo de engorda dura entre 20 meses e 26 meses, em média, o que garante um papel de destaque na indústria da carne bovina.

Os bois Nelore representam 80% da produção de carne brasileira. De origem indiana, essa raça se adaptou às altas temperaturas do clima brasileiro e desenvolveu uma resistência natural a parasitas.

Além disso, tem boa longevidade reprodutiva, com carcaça valorizada no mercado pela qualidade da carne com bom índice de gordura.

O rápido crescimento e o ciclo de engorda curto favorecem a criação de Senepol. O gado de corte dessa raça tem alta capacidade de transformar pasto em carne, ficando pronto para o abate de forma precoce.

Patrocinadores

Os animais são rústicos, dóceis e têm grande adaptabilidade ao calor e à umidade, sendo resistentes.

O Tabapuã é o resultado do cruzamento de diversas raças de beduínos, sendo considerado o “Zebu brasileiro”.

Dócil e com excelente rendimento, pode ser criado em confinamento para acelerar o ganho de peso. Nas condições ideais, o abate acontece aos 30 meses. A raça também é indicada para a produção de leite.

Source link

Patrocinadores

agricultura agricultura de precisão agricultura familiar agrolink agronegocio agrotoxico arroz avicultura biodiesel biotecnologia boi brasil cabras café cavalo certificação consultoria crédito rural descubra ensino à distância etanol feijão flores frutas gado gado de corte geladeiras gestão rural milho noticias ovelha para pasto pecuaria pecuária leiteira pragas na agricultura Qual saúde Animal seguro rural setor sucroenergético SOJA suinocultura Treinamento trigo Turismo rural

 

 

 

 

Patrocinadores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here