Controle de Carrapatos em Gado Leiteiro: Um Desafio para os Produtores

Nos dias quentes, os produtores que trabalham com gado de leite enfrentam diversos desafios, especialmente a infestação de carrapatos bovinos, que podem causar prejuízos tanto para a saúde dos animais quanto para a produção. O clima favorável durante esses períodos contribui para a proliferação desses parasitas, trazendo preocupações adicionais aos criadores.

O controle eficiente dos carrapatos é essencial para garantir o bem-estar dos animais e a qualidade da produção de leite. Neste artigo, abordaremos a importância desse controle, os impactos negativos causados pelos carrapatos e as melhores estratégias para enfrentar esse desafio de forma eficaz.

Além disso, confira abaixo esses posts:

MEGA SORGO SANTA ELISA

Patrocinadores

Pragas de Milho e Sorgo: Descubra as Ameaças Ocultas para Sua Colheita

06 Dicas Essenciais para Plantar Sorgo com Sucesso

Silagem de Sorgo

Desenvolvimento

Os carrapatos bovinos representam um desafio para os produtores de gado de leite, especialmente em períodos com clima quente e úmido. Essas condições propícias favorecem a proliferação desses parasitas, que trazem diversos prejuízos para os animais.

Patrocinadores

Impactos dos Carrapatos

Os carrapatos são ectoparasitas que, além de causarem danos físicos aos animais, também podem transmitir doenças graves, como a Tristeza Parasitária Bovina (TPB). Esses parasitas sugam o sangue, furam o couro do animal e podem levar a perdas econômicas significativas, incluindo a necessidade de descarte de leite e medicamentos, podendo até levar à morte dos bovinos.

Controle e Protocolos

É essencial que os produtores adotem medidas de controle dos carrapatos desde as fases iniciais do problema, evitando assim danos irreversíveis aos animais. Além disso, a implementação de protocolos adequados, como o utilizado pelo produtor Gione Heck, mostram-se eficazes na prevenção e combate desses parasitas. O uso de carrapaticidas de alta qualidade e orientação técnica adequada são fundamentais para o sucesso no controle das infestações.

Cuidados Necessários

A orientação técnica, aliada ao uso de carrapaticidas eficientes, é essencial para garantir os melhores resultados no controle dos carrapatos em gado leiteiro. Cada fase da vida dos bovinos requer cuidados específicos, e a adoção de protocolos personalizados pode ser a chave para o sucesso nessa empreitada. A assistência veterinária disponibilizada por cooperativas, como a Copagril, pode fornecer o suporte necessário para os produtores implementarem práticas eficazes de controle de carrapatos.

Além disso, confira abaixo esses posts:

Patrocinadores

Preço do Bezerro Nelore e Mestiço Atualizado

Preço da vaca Nelore e Mestiça Atualizado

Preço do Milho Atualizado

Preço da Soja Atualizado

Patrocinadores

Solução eficiente para o controle de carrapatos em gado leiteiro

Manter o controle de carrapatos em gado leiteiro é fundamental para garantir o bem-estar dos animais e a produtividade da fazenda. Com a implementação de um protocolo estratégico, como o utilizado pelo produtor Gione Heck, é possível evitar prejuízos econômicos e garantir a saúde do rebanho.

O uso de carrapaticidas de alta eficácia, aliado a cuidados estratégicos e orientação técnica, pode fazer toda a diferença na redução da infestação de carrapatos e na prevenção de doenças transmitidas por esses parasitas. É importante seguir um protocolo adequado, adaptado às diferentes necessidades do rebanho, para obter os melhores resultados.

Com a atenção e os cuidados necessários, é possível evitar problemas futuros e manter a saúde e a produtividade dos animais, garantindo um ambiente propício para o desenvolvimento da atividade leiteira.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

Patrocinadores

Controle de Carrapatos em Gado Leiteiro: Saiba mais sobre o Protocolo Eficiente

No artigo, vamos abordar a importância do controle de carrapatos em gado leiteiro durante os dias quentes, quando a infestação desses ectoparasitas é mais comum. Destacaremos os efeitos negativos dos carrapatos, os prejuízos econômicos para os produtores e os cuidados necessários para evitar esses problemas. Confira!

Perguntas Frequentes

1. Por que os dias quentes propiciam a infestação de carrapatos em gado leiteiro?

O clima úmido, a presença de mais luz e as altas temperaturas proporcionam as condições ideais para a multiplicação dos carrapatos bovinos.

2. Quais são os efeitos negativos dos carrapatos em bovinos?

Os carrapatos causam perda de peso, danos ao couro, transmissão de agentes patogênicos e podem provocar doenças como a Tristeza Parasitária Bovina (TPB).

3. Como o ataque de carrapatos afeta a produção de leite?

O ataque de carrapatos pode causar perdas econômicas significativas, levando ao descarte de leite, gastos com medicamentos e até a morte do animal.

Patrocinadores

4. Qual é a importância do controle estratégico dos ectoparasitas em gado leiteiro?

O controle desde a fase inicial é fundamental para evitar danos irreversíveis. O uso de um carrapaticida eficiente e um protocolo adequado são essenciais para prevenir infestações.

5. Quais são os cuidados necessários para o controle eficiente de carrapatos?

Além do uso de carrapaticidas eficientes, é fundamental adotar um protocolo adequado, que pode variar de acordo com a idade e as condições dos animais. A orientação técnica é essencial para garantir resultados satisfatórios.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

Verifique a Fonte Aqui

Patrocinadores


Nos dias quentes, os produtores que trabalham com gado de leite acabam tendo desafios não apenas para oferecer bem-estar aos animais, mas também pelo fato desses períodos serem propícios à infestação de carrapatos bovinos (Rhipicephalus microplus). O combo formado por clima úmido, mais luz e altas temperaturas oferece as condições ideais para a multiplicação deste parasita.

Segundo a médica veterinária da Frimesa, Adrielly Mayann Michelon, os carrapatos são ectoparasitas que causam perda de peso, danificam o couro, transmitem agentes patógenos e/ou produzem lesões que predispõem os animais a infecções secundárias. Esse parasita, além de sugar o sangue e furar o couro, mantém os animais sob estresse contínuo.

De acordo com a veterinária, durante a hematofagia, os carrapatos que apresentarem algum agente patogênico podem transmitir os patógenos pela saliva e provocar doenças como a Tristeza Parasitária Bovina – TPB.

“O ataque de carrapatos pode causar perda expressiva na produção, dependendo do grau da infestação. Eles podem transmitir a tristeza parasitaria (amarelão), causando perdas econômicas com descarte de leite e medicamentos e podendo causar até a morte do animal”, afirma.

Além disso, as mordidas dos carrapatos causam lesões no couro devido às picadas, o que aumenta o risco de se desenvolver doenças, além de favorecer a penetração de larvas de moscas causadoras das bicheiras (miíases).

Efeitos

A profissional explica que o carrapato-do-boi causa grandes prejuízos econômicos à cadeia produtiva de bovinos e para que ele não chegue a uma situação parasitária, é necessário o controle desde a fase inicial, pois se não, com a vaca completamente infestada, a maior parte dos danos já se torna irreversível.

O produtor e associado da Copagril, Gione Heck, morador da Linha Boa Vista, distrito de Novo Três Passos, em Marechal Cândido Rondon, lembra que os eventos climáticos extremos, influenciados pelo El Niño e outros fenômenos, que deixam as temperaturas mais quentes, agravam a situação, daí a importância de se fazer um controle estratégico dos ectoparasitas, de acordo com as estações do ano. “Quando tivemos o problema com carrapatos, graças à assistência veterinária disponibilizada pela Copagril nós conseguimos praticar e implementar um protocolo de 180 dias onde consiste em três aplicações de um carrapaticida, sempre utilizando um produto de alta capacidade e com base de cipermetrina com clorofórmica, independente se havia ou não carrapatos naquele momento. E desde aquela época, é esse protocolo que eu sigo”, pontua Heck.

O produtor ainda afirma que, após adotar o protocolo, nunca mais teve problemas com uma infestação de carrapatos.

Cuidados

A médica veterinária da Frimesa destaca que, para a obtenção dos melhores resultados, não basta a tecnologia farmacêutica, é preciso adotar um protocolo. “É fundamental um carrapaticida eficiente associado ao cuidado estratégico e à orientação técnica. Dentro de uma mesma fazenda, com uma mesma raça, há formas diferentes de tratar o rebanho. Bezerros de 4 a 8 meses, por exemplo, precisam de mais banhos”, esclarece Adrielly Michelon.

Por isso, a Cooperativa Agroindustrial Copagril oferece a orientação técnica necessária para que todo o cuidado necessário seja aplicado e efetivo nos rebanhos.

Com informações de Assessoria Copagril



Facebook


WhatsApp


560c8b0b0cec4d arte rgb (1)

Patrocinadores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here