COMO ESCOLHER A MELHOR RAÇÃO PARA A BOIADA

COMO ESCOLHER A MELHOR RAÇÃO PARA A BOIADA

A ração certa maximiza os índices zootécnicos do rebanho e possibilitam o melhor acabamento da carcaça, bem como a padronização para a sua comercialização.

O sucesso da produção de carne bovina depende de um planejamento muito bem-estruturado de todo o sistema, mas, principalmente, das estratégias nutricionais para o gado de corte. Isso porque são elas que maximizam os índices zootécnicos do rebanho e possibilitam o melhor acabamento da carcaça, bem como a padronização para comercialização. Assim, é crucial escolher uma boa ração para bovinos de corte.

A evolução tecnológica do setor permite que o gestor avalie de forma precisa os fatores envolvidos nessa decisão para entregar um produto de acordo com as orientações do mercado e as exigências dos consumidores. Além disso, também melhora a eficiência econômica do negócio, questão primordial nesse ramo, já que a nutrição tem destaque no desempenho dos animais e no custo de produção de gado.

Afinal, como escolher a ração para bovinos de corte? O que levar em conta na hora de elaborar a dieta do gado? Continue conosco, pois é sobre isso que falaremos por aqui!

Quais são as melhores estratégias de alimentação para bovinos de corte?

As melhores estratégias de alimentação para bovinos de corte são aquelas que fornecem todos os nutrientes necessários para a sua mantença e o seu ganho de peso, de acordo com a categoria produtiva em que o animal está. Basicamente, a dieta é composta por forragens, alimentos concentrados, suplementos e aditivos, que fornecem fibras, proteínas, carboidratos, vitaminas e minerais na medida certa.

As melhores estratégias de alimentação para bovinos de corte são aquelas que fornecem todos os nutrientes necessários Dessa forma, o planejamento alimentar deve passar pelas fases de caracterização dos animais, verificação das suas exigências, levantamento e quantificação dos alimentos, composição dos alimentos e, finalmente, balanceamento da proporção de proteína e de energia na dieta. Como dissemos, cada fase da criação tem características e demandas específicas, e isso é levado em conta nas melhores estratégias.

Em regiões cuja sazonalidade das pastagens é muito intensa, como no Centro-Oeste do país, em que os períodos de seca reduzem consideravelmente o aporte nutricional do gado, a suplementação é uma estratégia fundamental para o negócio. Aqui, é importante ter em mente que a dieta mais adequada também garante que os animais consumam, em cada bocado, algo muito próximo daquilo que foi estabelecido na formulação da ração.

No geral, podemos resumir as melhores estratégias nutricionais da seguinte forma:

  1. cria — fornecer creep feeding, que faz com que os bezerros cheguem à fase de desmama mais pesados do que se permanecessem apenas se alimentando de leite;
  2. recria — fornecer suplemento proteico ou proteico energético de 0,1% ou 0,3% do peso vivo;
  3. terminação — suplementação proteico energética com gordura a 0,5% ou confinamento/semiconfinamento, conforme o regime de chuvas da região.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

O que considerar ao escolher a melhor ração para bovino de corte?

A fase de recria é a mais extensa da pecuária de corte, além de ser um ponto-chave para a criação. É durante esse período que os bovinos têm uma boa conversão alimentar, o que possibilita ganhos adicionais a baixo custo, caso a dieta seja baseada em capim para gado de corte.

Mesmo apresentando as melhores estratégias no tópico anterior, para que o rebanho tenha maior aproveitamento dos nutrientes e alcance altas taxas de crescimento e de ganho de peso, o produtor precisa levar em consideração uma série de fatores. 

Raça do gado e condições da fazenda

É fundamental que a raça do gado de corte seja bem-adaptada ao clima e às condições da fazenda. O objetivo é evitar perdas na sua produtividade em consequência de estresse térmico, baixa resistência à seca ou à umidade, entre outros. A escolha do pasto também passa pelos mesmos critérios de adaptação ao solo e ao clima da região

Valor nutricional e composição da ração

A composição do alimento é um dos fatores mais importantes na hora de escolher a melhor ração para bovinos de corte. Contudo, é crucial dar atenção à qualidade dos ingredientes que compõem a dieta, bem como àqueles que constituem a ração do gado.

O volumoso, que contém níveis de fibras iguais ou superiores a 18%, fica por conta da forrageira (por exemplo, silagem de milho e cana-de-açúcar fresca picada). Já o concentrado, que tem níveis de fibras inferiores a 18% na matéria seca (MS), pode ser proteico (com 20% ou mais de proteína bruta (PB) na MS) ou energético (com menos de 20% de PB na MS).

Os ingredientes mais nobres dos concentrados são grãos de trigo, de soja e de sorgo, farelo de milho e farelo de soja. Além desses, também se usa caroço de algodão, polpa cítrica, casquinha de soja, resíduo de cervejaria e bagaço hidrolisado de cana-de-açúcar.

A mistura da ração é feita a partir do concentrado com os minerais e os aditivos, que melhoram a palatabilidade e a digestibilidade do alimento, além de conferir benefícios à saúde geral dos animais.

 

Necessidade de suplementação

O principal objetivo da suplementação alimentar é fornecer nutrientes quando a forrageira não consegue suprir as exigências nutricionais dos animais. Além disso, a suplementação pode promover um aumento no ganho de peso individual, assim como no ganho por área.

Essa estratégia é amplamente utilizada em sistemas de confinamento e semiconfinamento. Porém, tem sido cada vez mais aplicada nos sistemas cuja terminação é a pasto (pecuária extensiva), pois possibilita um controle maior do consumo pelos animais. Além disso, permite que o produtor faça ajustes na dieta para obter mais ganhos, aumentar o rendimento da carcaça e padronizá-las para o mercado.

Nas fazendas que atravessam períodos de seca, a suplementação é fundamental. Caso o pecuarista queira suplementar o rebanho no período das águas, o preço do produto vai determinar a escolha, desde que o seu pasto tenha alto valor nutritivo.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Além desses fatores, a dieta dos bovinos varia em função:

  1. dos alimentos disponíveis e dos preços desses alimentos;
  2. do sexo, da idade e da castração dos animais;
  3. do peso inicial;
  4. do peso pretendido ao abate.

Quais são os melhores exemplos de ração e de alimentação para bovino de corte?

Como você acabou de ver, cada situação vai determinar qual é a melhor ração para os bovinos de corte. Ou seja, não há uma receita de bolo, nem uma fórmula mágica. A melhor estratégia nutricional vai ser aquela baseada nas condições do seu sistema, bem como no que você pretende para a sua produção.

Contudo, em termos gerais, uma boa ração para bovinos de corte tem:

  1. milho moído ou inteiro;
  2. farelo de soja;
  3. ureia;
  4. sal mineral;
  5. sal comum.

É imprescindível que você escolha muito bem o seu fornecedor. Como mencionamos, o valor nutricional dos ingredientes da ração é tão importante quanto os próprios ingredientes, e ter a certeza de que o produto cumpre o que promete pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso da produção.

A alimentação de qualidade é a base de qualquer atividade de criação animal, já que é por meio da dieta que eles adquirem tudo o que precisam para manter suas funções vitais e produzir de maneira satisfatória. Além disso, a ração para bovinos de corte deve proporcionar a máxima eficiência econômica ao pecuarista.