Noticias do Jornal do campo

Boa leitura!

:

“Para finalizar, o artigo acima abordou de forma abrangente as exportações de café do Brasil para países produtores no período de janeiro a julho de 2023. Foi destacado o volume físico de café exportado, a receita gerada para o país e a participação do Brasil no mercado internacional. Além disso, foi ressaltado o ranking dos principais países importadores do café brasileiro, bem como a queda nas exportações em comparação com o ano anterior. Por fim, foi mencionado o desempenho positivo no início da safra Brazilian Coffees of Brazil (2023-2024).

Patrocinadores

Aqui estão algumas perguntas com respostas que podem gerar alta demanda de visualizações:

1. Qual é a quantidade de café exportada pelo Brasil no período de janeiro a julho de 2023?
R: O Brasil exportou o equivalente a 1,029 milhão de sacas de 60kg nesse período.

2. Quais foram os principais países importadores do café brasileiro?
R: Os principais países importadores foram: Colômbia, México, Indonésia, Vietnã e República Dominicana.

3. Qual foi a participação do café verde nas exportações totais?
R: O café verde correspondeu a 88,4% do volume exportado e 89,8% da receita gerada.

Patrocinadores

4. Qual variedade de café foi a mais exportada?
R: O café arábica manteve-se como o mais exportado, representando 81,8% do total vendido.

5. Houve crescimento nas exportações de café em julho de 2023?
R: Sim, houve um crescimento significativo de 18,7% no volume exportado em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Espero que esse artigo tenha fornecido todas as informações necessárias sobre as exportações de café do Brasil, de forma rica e detalhada. Aproveito para reforçar que o conteúdo de qualidade é uma das principais estratégias para melhorar o ranking de pesquisa no Google. Caso haja interesse em aprofundar o conhecimento sobre o assunto, recomendo explorar outros aspectos do SEO, como otimização de palavras-chave, estrutura de links internos e externos, velocidade de carregamento da página, entre outros. Seja sempre criativo e original em seu conteúdo e continue se atualizando sobre as melhores práticas do SEO. Boa sorte em sua jornada de ranqueamento no Google!”
Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão?

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

Patrocinadores

Gostou das nossas dicas? Possui alguma outra que gostaria de compartilhar com a gente?
Escreva para nós nos comentários!

Verifique a Fonte Aqui

As exportações da Cafés do Brasil para os países produtores, no acumulado de janeiro a julho de 2023, totalizaram o equivalente a um volume físico de 1,029 milhão de sacas de 60kg, que foram vendidas a um preço médio de US$ 217,29 a unidade, o que gerou cerca de US$ US$ 224 milhões em divisas para o nosso país no período. Essas exportações, em termos de volume físico, corresponderam a 5,35% das vendas totais do produto brasileiro e, em termos de receita, a 5,36% do total registrado.

Patrocinadores

Nesse contexto, cabe esclarecer que no período objeto desta análise e divulgação, as exportações totais da Cafés do Brasil atingiram o volume físico de 19,222 milhões de sacas de 60kg e receita cambial de US$ 4,176 bilhões. Desse volume, vale destacar que o total de café verde exportado atingiu 16,988 milhões de sacas de 60kg, o que equivale a 88,4% desse montante, e US$ 3,75 bilhões em divisas, valor que correspondeu a 89,8% do total arrecadado.

Além disso, vale destacar também que o total de café industrializado exportado, no caso solúvel, torrado e torrado & moído, atingiu o equivalente a 2,234 milhões de sacas de 60kg, que correspondem a 11,62% do volume físico dessas vendas, cuja receita foi de US$ 426,18 milhões, valor equivalente a 10,2% do valor total arrecadado com essas vendas ao exterior.

Retomando o foco inicial desta análise, verifica-se que, nos primeiros sete meses deste ano corrente, 2023, foram 16 países produtores de café que importaram as 1,029 milhões de sacas do referido produto brasileiro, obviamente, para atender suas exportações e consumo interno. Assim, se apenas os seis primeiros desses países importadores forem classificados, em ordem decrescente, percebe-se que a Colômbia, que é o terceiro maior país produtor de café do mundo depois do Vietnã e do Brasil, se destaca na primeira posição. lugar com a importação de 693,105 mil sacas de Cafés do Brasil, que representaram 67,35% do total comercializado.

Em segundo lugar neste ranking está o México, com 101,845 mil sacas (9,89%); em terceiro, a Indonésia com a compra de 76,670 mil sacas (7,45%); os países seguidos pelo Vietnã com 61.003 mil sacas (5,92%); e, por fim, em sexto lugar, a República Dominicana com 41.251 mil sacas de 60 kg, que representaram 4% do total comprado da Cafés do Brasil. Os dez países restantes, que adquiriram volumes bem menores, completam 100% dessas importações.

Patrocinadores

Segundo o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – CECAFE, conforme seu Relatório Mensal – julho de 2023, de onde foram extraídos dados e informações para a elaboração desta análise e divulgação, que está disponível no Café Research Consórcio Café Observatory, coordenado por Na Embrapa Café, em relação aos tipos de café exportados, o arábica manteve-se tradicionalmente como o mais exportado, neste caso, de janeiro a julho deste ano, com volume físico de 15,726 milhões de sacas de 60kg, que corresponderam a 81,8% do total vendido.

Em seguida, como destaque das exportações da Cafés do Brasil, no mesmo período, vem o café solúvel, cujas vendas foram equivalentes a 2,208 milhões de sacas (11,5%), seguido da variedade canephora, com 1,262 milhão de sacas (6,6% ), além de produtos torrados e torrados & moídos, correspondendo a 26.535 sacas de 60kg, que representaram apenas 0,1% do total vendido aos importadores.

Vale destacar também, conforme consta também no Relatório do CECAFE em pauta, que o total das exportações da Cafés do Brasil, nos primeiros sete meses de 2023, tanto em volume físico quanto em receita cambial, na comparação com o mesmo período de no ano anterior, representou quedas de 14,7% no volume e de 20,5% na receita cambial, cujos números e desempenho refletiram principalmente a disponibilidade do produto, após duas safras menores (2021 e 2022), além da queda dos preços do café em o mercado internacional.

Por fim, vale destacar nesta análise que, exclusivamente no mês de julho deste ano, que representa o início da safra Brazilian Coffees of Brazil (2023-2024), foram exportadas 2,991 milhões de sacas de 60 kg, volume físico que denota um crescimento significativo de 18,7% em relação ao mesmo mês do ano cafeeiro anterior. E que, em termos de receita cambial, foram arrecadados US$ 627,80 milhões, o que representou um aumento de 5,2% na comparação com o mesmo mês anterior.

Patrocinadores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here