O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) habilitou, somente nestes nos dois primeiros meses de 2023, mais 90 empresas para exportar milho para a China. Agora a lista para exportar o produto ao país asiático passa a contar com 446 empresas brasileiras.

“A perspectiva para este ano é de recorde nas exportações de milho brasileiras com possibilidade do Brasil ultrapassar as exportações de milho dos Estados Unidos”, destaca o secretário de Defesa Agropecuária, Carlos Goulart.

As exportações de milho do Brasil seguem em alta em 2023 e ganham grande impulso com as vendas do cereal à China.

Segundo os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) em janeiro deste ano as exportações de milho brasileiras subiram 167% em relação ao mesmo mês do ano passado, com o país asiático absorvendo 15% da oferta brasileira.

VEJA TAMBÉM | Conab: produção de grãos em 2022/23 deve ser de 310,6 milhões de toneladas

Patrocinadores

Até o ano passado, os maiores compradores de milho do Brasil foram Irã, Japão, Espanha e Egito.

Conforme acordo celebrado em 2022, o Mapa é quem registra as empresas brasileiras que atenderem aos requisitos determinados pela China para a exportação do milho.

Após o registro no Brasil, o Ministério envia à Administração Geral de Alfândegas da China (GACC na sigla em inglês) a lista de empresas habilitadas e em seguida a confirmação pela parte chinesa, as empresas podem embarcar o grão àquele país.

Fonte

Patrocinadores
Patrocinadores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here