Pular para o conteúdo
Patrocinadores

Inpasa vai construir indústria de etanol de milho no Maranhão?

Introdução

O Grupo Inpasa anunciou um investimento de R$ 1,2 bilhão na construção de uma nova unidade fabril de etanol, proteína e óleo de milho em Balsas, no Maranhão. Essa será a sétima indústria do grupo e o valor total investido pode chegar a até R$ 2,5 bilhões. Com isso, a empresa fortalece sua presença no Brasil, onde já possui duas unidades no Paraguai e três em operação, sendo duas em Mato Grosso e uma em Mato Grosso do Sul. Além disso, recentemente, o grupo também anunciou um investimento de R$ 1,2 bilhão na construção de uma indústria em Sidrolândia, também em Mato Grosso do Sul.

A importância do projeto no Maranhão

O projeto da Inpasa no Maranhão foi muito celebrado e contou com a presença do Vice-Presidente da República, Geraldo Alckmin, do governador Carlos Brandão e do prefeito da cidade, Erik Augusto. A unidade será capaz de processar um milhão de toneladas de cereais e produzir 460 milhões de litros de etanol, 230 mil toneladas de DDGS (farelo de milho utilizado na ração animal), 23 mil toneladas de óleo premium e 200 GWH/ano de energia elétrica. Estima-se que a construção da unidade irá gerar dois mil empregos temporários, além de 500 empregos diretos no início das operações e cerca de dois mil empregos indiretos.

O Etanol de Cereais

Um destaque importante durante a apresentação do projeto foi a mudança de nome do etanol de milho para “etanol de cereais”. Essa alteração se deve ao fato de que a Inpasa também incentiva o plantio de sorgo como uma alternativa para a segunda safra. Além disso, a empresa busca impulsionar tecnologias de cultivo e produção em larga escala, promovendo também outras cadeias produtivas, como a biomassa. A Inpasa acredita que essa expansão será uma revolução na bioeconomia, tornando o Maranhão e o Brasil referências verdes.

A importância da sustentabilidade

O vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, ressaltou a importância de soluções sustentáveis e mencionou o etanol como uma alternativa menos poluente. Além de produzir alimentos e proteínas para ração animal, a Inpasa também contribui para a geração de energia elétrica por meio da biomassa. Todo esse empreendimento impulsiona a economia, gera empregos e colabora para o desenvolvimento da região, colocando Balsas como um importante centro da agroindústria brasileira.

Patrocinadores

Conclusão

O investimento do Grupo Inpasa na construção de uma unidade fabril de etanol, proteína e óleo de milho no Maranhão fortalece a presença da empresa no Brasil e impulsiona o desenvolvimento econômico e social da região. Com a capacidade de processar um milhão de toneladas de cereais, essa nova unidade irá gerar empregos e promover a produção sustentável, destacando a importância da bioeconomia. A Inpasa se mostra uma precursora nesse setor e contribui para tornar o Brasil e o Maranhão referências verdes no cenário internacional.

Comunidade de WhatsApp

Para se manter atualizado com as novidades do setor, participe da nossa comunidade de WhatsApp no Canal Rural Mato Grosso. Clique aqui para entrar e receber em tempo real as notícias do agronegócio.

Conclusão

O Grupo Inpasa investirá R$ 1,2 bilhão na construção de uma unidade fabril de etanol, proteína e óleo de milho em Balsas, no Maranhão. Com essa nova indústria, o grupo pretende expandir sua atuação no Brasil e promover o desenvolvimento econômico da região. Além disso, o projeto também trará benefícios sociais, como a criação de empregos diretos e indiretos.

1. Quais serão os produtos produzidos pela unidade fabril do Grupo Inpasa?

A unidade fabril produzirá etanol, proteína e óleo de milho.

Patrocinadores

2. Qual é o valor do investimento do Grupo Inpasa no projeto?

O valor do investimento é de R$ 1,2 bilhão, podendo chegar a até R$ 2,5 bilhões.

3. Quantas unidades o Grupo Inpasa possui atualmente no Brasil?

O grupo possui atualmente três unidades em operação no Brasil.

4. Quantos empregos serão criados com a construção da unidade fabril em Balsas?

Durante a fase de construção, serão criados dois mil empregos. No início das operações, serão criados cerca de 500 empregos diretos, além de dois mil empregos indiretos.

5. Qual é a previsão de produção da unidade fabril?

A unidade irá processar um milhão de toneladas de cereais para produzir 460 milhões de litros de etanol, 230 mil toneladas de DDGS, 23 mil toneladas de óleo premium e 200 GWH/ano de energia elétrica.

Patrocinadores

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo
Gostou das nossas dicas? Possui alguma outra que gostaria de compartilhar com a gente?
Escreva para nós nos comentários!

Verifique a Fonte Aqui

Patrocinadores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *