Proteção aos produtores de leite: Governo de Goiás anuncia medidas

O governador Ronaldo Caiado anunciou nesta segunda-feira (25/3), durante evento na Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), que o Estado vai retirar benefícios fiscais de laticínios que importam leite e derivados de outros países, prejudicando produtores goianos.

A medida está em consonância com a mobilização do setor pela adoção de medidas de proteção econômica e será viabilizada por meio de alteração em lei e publicação de decretos. “Estamos fazendo justiça. Não podemos ter uma lei que incentiva a indústria e sufoca o produtor. Quem tem o incentivo fiscal deve priorizar o produto de Goiás”, afirmou Caiado.

Objetivo do artigo: destacar as ações do Governo de Goiás para proteger os produtores de leite e os impactos no setor agropecuário local.

———————————————————————————————-

Desenvolvimento

Fruto de estudos desenvolvidos pelas secretarias da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e Economia, o pacote inclui alteração e regulamentação das leis nº 13.591/2000, que institui o Programa Produzir, e nº 20.787/2020, que trata do Programa do Pró-Goiás, no sentido de retirar os benefícios fiscais de empresas importadoras.

Patrocinadores

Também será publicada uma instrução normativa, visando disciplinar a execução da medida. As alterações foram assinadas e sancionadas pelo governador na tarde de 26 de março.

VEJA TAMBÉM | Governo de MG anuncia medida de proteção aos produtores de leite

Com as medidas, o Governo de Goiás busca apoiar os produtores locais, principalmente os pequenos, reduzindo o impacto negativo do recente aumento no volume de compra do produto de fornecedores externos. “Queremos criar uma parceria onde possamos conviver e dar condições para que o pequeno produtor de leite, no mais distante município, possa também ampliar essa estrutura”, disse o governador.

O vice-governador Daniel Vilela relembrou os desafios que sua família passava na época em que eram produtores de leite e disse que a atividade, mais que uma opção de sustento, é uma paixão dos produtores. “Estamos tomando medidas que compensam o desequilíbrio, que vão balancear e dar melhores condições aos produtores de leite, os maiores geradores de emprego do país”, disse Vilela.

Ainda durante o evento, foi anunciado a realização de um estudo referente às legislações ambiental, sanitária e tributária. O objetivo é desburocratizar, reduzir custos e fomentar os pequenos laticínios e cooperativas que processam leite, o que deve ampliar a concorrência.

Patrocinadores

Também será apresentado ao Conselho Deliberativo do Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FCO) um pedido de renegociação e alongamento de financiamentos.

As novidades foram comemoradas pelos produtores, que lotaram o auditório da Faeg. Para o presidente da entidade e vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), José Mário Schneider, a proteção econômica vai alcançar milhares de famílias que vivem da produção de leite. “Goiás está um passo à frente, buscando o equilíbrio para que todos os cidadãos goianos tenham dignidade e, acima de tudo, respeito entre os elos da cadeia”, disse Schneider.

Revista DBO | Leilões de raças leiteiras: média geral cresceu quase 20%

Mais apoio – Além das medidas anunciadas nesta segunda, o governo desenvolve outras ações de fortalecimento da cadeia produtiva de leite. Entre elas, destaca-se a Câmara Técnica e de Conciliação da Cadeia Láctea do Estado de Goiás, que facilita a negociação entre produtores e indústrias, e a criação de linha de crédito específica dentro do FCO, com prazo de quatro anos de carência e 15 anos para pagamento. A taxa de juros é de aproximadamente 7,46% ao ano.

Pontos Principais do Artigo

– O governador de Goiás anunciou medidas para retirar benefícios fiscais de laticínios que importam leite e derivados de outros países.
– As alterações nas leis visam proteger os produtores locais, especialmente os pequenos, e reduzir o impacto do aumento de importações.
– Haverá uma instrução normativa para reger a execução das novas medidas, que foram assinadas e sancionadas recentemente.
– Também foram anunciados estudos para simplificar legislações e reduzir custos para os pequenos laticínios e cooperativas do estado.
– O governo demonstra apoio à cadeia produtiva do leite com medidas de proteção e incentivo, com destaque para a criação de uma linha de crédito específica e a renegociação de financiamentos.

Ao analisar a situação atual da produção de leite em Goiás e as medidas tomadas pelo governo para proteger os produtores locais, fica evidente a importância de políticas públicas que visem fortalecer a economia agrícola do estado. A implementação de medidas como a retirada de benefícios fiscais de importadores estrangeiros e a simplificação de legislações para os pequenos produtores são passos importantes na direção certa. Isso não apenas protege os interesses locais, mas também contribui para a criação de condições mais justas e equilibradas em toda a cadeia produtiva do leite. A atenção dada pelo governo ao setor mostra um compromisso em promover o desenvolvimento sustentável e o crescimento econômico da região, beneficiando tanto os produtores quanto a população em geral. Com estas medidas, Goiás se destaca como um exemplo a ser seguido no apoio à produção leiteira nacional.
————————————————————————————————–

Patrocinadores

Proteção Econômica aos Produtores de Leite em Goiás

As medidas anunciadas pelo Governo de Goiás representam um importante passo para proteger os produtores locais de leite e derivados. Com a retirada de benefícios fiscais de empresas importadoras, o Estado busca apoiar os pequenos produtores e reduzir o impacto negativo das importações. Além disso, a iniciativa de realizar um estudo sobre legislações ambientais, sanitárias e tributárias demonstra o compromisso em desburocratizar e fomentar o setor, promovendo uma maior concorrência e equilíbrio na cadeia produtiva.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

Novas medidas para proteção dos produtores de leite em Goiás

O governador Ronaldo Caiado anunciou recentemente medidas para proteger os produtores de leite em Goiás. Essas ações visam reduzir o impacto negativo do aumento nas importações de leite e derivados de outros países, prejudicando os produtores locais. A seguir, vamos abordar mais detalhes sobre as mudanças e como elas impactarão a cadeia produtiva do leite no estado.

FAQs

1. Quais são as medidas anunciadas pelo governo de Goiás para proteção dos produtores de leite?

O governo de Goiás anunciou a retirada de benefícios fiscais de laticínios que importam leite e derivados de outros países, priorizando os produtos locais. Além disso, haverá a regulamentação de leis para garantir a execução dessas medidas.

Patrocinadores

2. Qual é o objetivo principal das novas medidas?

O principal objetivo das medidas é apoiar os produtores locais, especialmente os pequenos, diante do aumento das importações de leite no estado. O governo busca equilibrar a concorrência e garantir melhores condições para os produtores de leite.

3. Como as medidas afetarão a cadeia produtiva de leite em Goiás?

Com as novas medidas, o governo pretende fortalecer a cadeia produtiva de leite em Goiás, ampliando a competitividade dos pequenos laticínios e cooperativas. Isso deve gerar mais empregos e renda para os produtores locais.

4. O que mais o governo de Goiás está fazendo para apoiar os produtores de leite?

Além das medidas anunciadas, o governo desenvolve outras ações, como a criação de linhas de crédito específicas e a facilitação da negociação entre produtores e indústrias. Essas iniciativas visam fortalecer toda a cadeia produtiva do leite no estado.

5. Qual a importância da cadeia produtiva de leite em Goiás?

Goiás é um dos maiores produtores de leite do país, com um rebanho leiteiro significativo e uma produção expressiva. As medidas adotadas pelo governo são fundamentais para garantir a sustentabilidade e o desenvolvimento desse setor tão importante para a economia do estado.

Patrocinadores

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

O governador Ronaldo Caiado anunciou nesta segunda-feira (25/3), durante evento na Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), que o Estado vai retirar benefícios fiscais de laticínios que importam leite e derivados de outros países, prejudicando produtores goianos.

A medida está em consonância com a mobilização do setor pela adoção de medidas de proteção econômica e será viabilizada por meio de alteração em lei e publicação de decretos. “Estamos fazendo justiça. Não podemos ter uma lei que incentiva a indústria e sufoca o produtor. Quem tem o incentivo fiscal deve priorizar o produto de Goiás”, afirmou Caiado.

Fruto de estudos desenvolvidos pelas secretarias da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e Economia, o pacote inclui alteração e regulamentação das leis nº 13.591/2000, que institui o Programa Produzir, e nº 20.787/2020, que trata do Programa do Pró-Goiás, no sentido de retirar os benefícios fiscais de empresas importadoras.

Patrocinadores

Também será publicada uma instrução normativa, visando disciplinar a execução da medida. As alterações foram assinadas e sancionadas pelo governador na tarde de 26 de março.

VEJA TAMBÉM | Governo de MG anuncia medida de proteção aos produtores de leite

Com as medidas, o Governo de Goiás busca apoiar os produtores locais, principalmente os pequenos, reduzindo o impacto negativo do recente aumento no volume de compra do produto de fornecedores externos. “Queremos criar uma parceria onde possamos conviver e dar condições para que o pequeno produtor de leite, no mais distante município, possa também ampliar essa estrutura”, disse o governador.

O vice-governador Daniel Vilela relembrou os desafios que sua família passava na época em que eram produtores de leite e disse que a atividade, mais que uma opção de sustento, é uma paixão dos produtores. “Estamos tomando medidas que compensam o desequilíbrio, que vão balancear e dar melhores condições aos produtores de leite, os maiores geradores de emprego do país”, disse Vilela.

Ainda durante o evento, foi anunciado a realização de um estudo referente às legislações ambiental, sanitária e tributária. O objetivo é desburocratizar, reduzir custos e fomentar os pequenos laticínios e cooperativas que processam leite, o que deve ampliar a concorrência.

Patrocinadores

Também será apresentado ao Conselho Deliberativo do Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FCO) um pedido de renegociação e alongamento de financiamentos.

As novidades foram comemoradas pelos produtores, que lotaram o auditório da Faeg. Para o presidente da entidade e vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), José Mário Schneider, a proteção econômica vai alcançar milhares de famílias que vivem da produção de leite. “Goiás está um passo à frente, buscando o equilíbrio para que todos os cidadãos goianos tenham dignidade e, acima de tudo, respeito entre os elos da cadeia”, disse Schneider.

Revista DBO | Leilões de raças leiteiras: média geral cresceu quase 20%

Mais apoio – Além das medidas anunciadas nesta segunda, o governo desenvolve outras ações de fortalecimento da cadeia produtiva de leite. Entre elas, destaca-se a Câmara Técnica e de Conciliação da Cadeia Láctea do Estado de Goiás, que facilita a negociação entre produtores e indústrias, e a criação de linha de crédito específica dentro do FCO, com prazo de quatro anos de carência e 15 anos para pagamento. A taxa de juros é de aproximadamente 7,46% ao ano.

Goiás é um dos maiores produtores de leite do país. Em 2023, o estado produziu 2,2 bilhões de litros do produto, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O rebanho leiteiro possui quase 2 milhões de animais, com destaque para os municípios de Orizona, Jataí e Piracanjuba. A maioria dos produtores são pequenos e médios, com média de até 250 litros por dia.

Fonte: Secom Governo de GO

Verifique a Fonte Aqui

Patrocinadores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here