Pular para o conteúdo

vacina contra carrapato desenvolvido pela Embrapa

A eficácia até o momento é de 69%. A cada seis meses deverá ser aplicada dose de reforço

Está em desenvolvimento a primeira vacina contra carrapato bovino do Brasil. O trabalho é feito na Embrapa Gado de Corte e pela Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect).

A iniciativa começou há cerca de duas décadas e se encontra na segunda fase. Com financiamento da iniciativa privada foi criado um banco de dados genéticos do carrapato e foram feitos os testes em bovinos. A eficácia até o momento é de 69%. A cada seis meses deverá ser aplicada dose de reforço. A vacina contra o carrapato bovino já teve seu depósito de patente aprovado e pode chegar ao mercado brasileiro em breve.

Img 20171021 Wa0384 1 Vacina Contra Carrapato Desenvolvido Pela Embrapa
vacina contra carrapato desenvolvido pela Embrapa 3

A presença de carrapatos nos rebanhos bovinos gera um prejuízo aproximado de US$ 3.2 bilhões ao ano, aos produtores rurais brasileiros e cerca de US$ 17 bilhões no mundo. Um dos coordenadores da pesquisa, o doutor em biologia molecular, Renato Andreotti explica que esse problema pode ser resolvido em breve. Os próximos passos serão: montar um sistema de produção em escala comercial e realizar os protocolos de aprovação no Ministério da Agricultura.

Carrapato Do Boi Vacina Contra Carrapato Desenvolvido Pela Embrapa
vacina contra carrapato desenvolvido pela Embrapa 4

“A gente vem trabalhando nela há muito tempo, e conseguimos registrar a patente depois de um ano. Isso nos traz uma possibilidade real de oferecer uma ferramenta, a curto prazo, para o controle do carrapato sem uso de produto químico”, diz.

De acordo com o Chefe Geral da Embrapa Gado de Corte, Antônio do Nascimento Ferreira, a nova vacina garante melhorias em diversas áreas da produção. “No ambiente da fazenda, o uso desta vacina garantirá uma significativa melhora da produtividade, além da redução de pesticidas e consequente contaminação ambiental. E o mais importante, com a diminuição do número destes vetores teremos um produto final com ainda mais qualidade”, finaliza.

FONTE: AGROLINK

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.