reproducao

Bovinocultura Bovinos doenças bovinas

Reprodução

 sem produção nao ha produção

 Uma vaca tem que parir antes de poder começar uma nova lactação. A prenhez ocorre apenas depois de a vaca ser coberta adequadamente durante o período de cio. A duração do intervalo entre partos é determinada pelo tempo que transcorre entre um parto e a seguinte concepção. Isto afeta a duração do período de lactação e, em combinação com a idade da vaca aquando do primeiro parto, tem um efeito significativo na produção leiteira da vaca durante toda a sua vida.
DETECÇÃO DUMA VACA EM CIO
SINTOMAS
Uma vaca em cio indica que está pronta para a reprodução e que, com uma cobrição adequada, está pronta para ficar prenhe. Os sintomas de cio são:
.O animal está desassossegado, muge e tenta atrair a atenção de outros animais.
.Tenta montar outras vacas, fareja-as e convida-as para a montar e farejar.
.Durante o estado de pleno cio a vaca tem um reflexo de imobilização, de forma que fica quieta e deixa-se montar. Este é o sintoma mais seguro do cio e indica que o momento é apropriado para a vaca ser coberta (quer de modo natural ou artificialmente).
. Possivelmente a vaca tem lodo nos flancos devido a ter sido montada anteriormente. O pelo no lombo, na zona pélvica e na raiz da cauda está revolto ou, às vezes, ausente.
. Os lábios da vulva estão avermelhados e levemente inchados.
. Secreção de um muco aguado, claro, da vulva, que pode estar colada à cauda.
. Muitas das vezes, a produção leiteira é inferior à normal e a vaca comporta-se duma maneira diferente.
. Depois do cio o animal pode produzir uma leve secreção de muco sanguinolento nos quartos traseiros e na cauda.
Figura 13: Sintomas do estado de cio
A: tenta montar outras vacas
B: estado de pleno cio; fica quieta e deixa-se montar
C: fareja outras vacas
As bezerras após a puberdade e as vacas não prenhes devem entrar em cio cada 3 semanas ou 18 a 23 dias. Portanto, o registo dos casos de cio detectados facilita vigiar o animal depois de 18 a 23 dias para ver se entra, de novo, em cio. Se a vaca tiver sido inseminada e não entrar em cio, poder-se-á presumir que ficou prenhe.
PROCEDIMENTOS PARA A DETECÇÃO DO CIO
O cio normal leva entre, aproximadamente, 8 a 12 horas. Por conseguinte, recomenda-se observar as vacas, no mínimo, três vezes por dia durante 10 a 20 minutos, para detectar sintomas de cio. Um touro consegue sempre detectar uma vaca em cio mas, muitas das vezes, mantêm-se os touros separados das vacas, de modo que o próprio produtor pecuário deve reconhecer os sintomas do cio. Quando as vacas estão a pastar, conjuntamente, num rebanho, não é difícil reconhecer um animal em cio, visto que as outras vacas a montam. Será mais difícil detectar uma vaca em cio quando os animais se encontram num estábulo mas, mesmo assim, se os animais puderem andar livremente no estábulo, ainda se podem montar uns aos outros. Contudo, se as vacas estiverem atadas no estábulo a detecção dos animais em cio será difícil. Nesse caso, o produtor pecuário deve ser mais vigilante para detectar outros sintomas, como sejam desassossego, mugido e um declínio da produção leiteira, e verificar se a vulva está inchada e avermelhada.
COMPLICAÇÕES QUANTO À DETECÇÃO DO CIO
Em condições em que a temperatura ambiente é elevada, as vacas apresentam, muitas das vezes, sintomas do cio durante as horas mais frescas do dia, particularmente de noite. Nos climas quentes, o cio tem, muitas das vezes, uma duração mais curta, quer dizer, de 6 a 8 horas, de forma que a sua detecção é mais difícil. Contudo, observações frequentes, particularmente cedo de manhã e tarde de noite, ajudam a detectar o cio.
As vacas que não são sadias, não entrarão em cio ou não apresentarão sintomas claros do seu estado de cio. O mesmo ocorre com as vacas que têm uma condição má ou que perdem peso devido a uma alimentação inadequada, uma produção de leite elevada no período pós-parto, ou uma doença.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *